Polícia

Vizinhos dizem que homem linchado era tranquilo e que família da ex criava confusão

Auxiliar de serviços gerais foi morto por familiares da ex-companheira

Wendy Tonhati Publicado em 10/06/2015, às 12h36

None
img-20150610-wa0033.jpg

Auxiliar de serviços gerais foi morto por familiares da ex-companheira

O clima na manhã desta quarta-feira (10), na Favela Cidade de Deus, era de revolta após a morte do auxiliar de serviços gerais Agnaldo João Schellemerg, de 47 anos. Segundo moradores do local, Aguinaldo era pessoa tranquila e de respeito. Já os familiares da ex-mulher, que são os suspeitos do crime, seriam ‘causadores de confusão’.

Os vizinhos contam que Aguinaldo foi casado com a mulher, se separou, mas continuou morando próximo à casa da ex-companheira. Na noite da terça-feira (9), os moradores dizem que antes da vítima chegar ao local, a família da ex-mulher estaria andando pelas ruas da favela, armados com facas, dizendo que “iam beber o sangue” dele.

Aguinaldo teria sido, segundo os vizinhos, abordado antes mesmo de chegar em casa. Conforme a Polícia Civil, ele foi atingido por várias facadas. Um golpe nas costas teria causado a morte.

Conforme os vizinhos, pelo menos a ex-mulher, a filha dela e um familiar delas teriam participado do linchamento. A filha já cumpriu pena por tráfico de drogas e tem uma irmã também presa.

Após o crime, os vizinhos afirmaram que moradores chegaram a cogitar colocar fogo no barraco da família e os mais exaltados tiveram que ser contidos. Há informações de que Agnaldo teria comprado recentemente um celular de última geração e que as suspeitas comentaram que queriam o aparelho. Quando a polícia chegou ao local, não tinha mais celular no local.

O auxiliar de serviços gerais era natural de Santa Catarina e estaria cogitando voltar para o estado de origem. Os irmãos já teriam inclusive mandado dinheiro para ele.

Homicídio

O crime aconteceu por volta das 21h40, na Favela Cidade de Deus. De acordo o registro feito na Polícia Civil, Agnaldo teria ameaçado a ex-mulher e os familiares dela ficaram revoltados. Eles perseguiram a vítima com facas.

Teria acontecido uma revolta entre os moradores e familiares da vítima, que perseguiram Agnaldo, que foi atingido por uma facada. Ele correu e caiu em uma cerca de arame. A ex-mulher e várias pessoas chegaram em seguida e o homem foi atingido com vários chutes e socos.

Jornal Midiamax