Polícia

Vídeo: vice-presidente da Acrissul usa nome de político, xinga PM e é preso

Após desacatar major da PM, Jonathan Barbosa foi detido

Midiamax Publicado em 01/05/2015, às 13h50

None
print_acrissul.jpg

Após desacatar major da PM, Jonathan Barbosa foi detido

O vice-presidente da Acrissul, Jonathan Barbosa, de 72 anos, recebeu voz de prisão por ter desacatado o major da PM (Polícia Militar), Edílson, nesta quinta-feira (30), durante a Expogrande, maior evento da entidade que congrega pecuaristas de todo o Mato Grosso do Sul. A equipe do Jornal Midiamax teve acesso ao vídeo no qual mostra o momento do desacato.

Nas imagens Jonathan Barbosa diz para o major Edílson José de Oliveira Ramos que sempre tratou todos com educação e que exigia respeito em relação à situação. “Aqui está tudo liberado, o próprio governador que deu a mão”, diz em dado momento do discurso que fazia enquanto o policial se mantinha sentado e quieto. Ele usa o nome de Reinaldo Azambuja em diversos trechos como forma de reafirmar autoridade na situação.

Jonathan ressalta no vídeo que é ‘ouvidor-geral do Estado’, ‘exige respeito ao major’ e ameaça dizendo que está vendo o nome dele. O militar disse que todo ano está na reunião e diz que ele falou a mesma coisa ano passado e Barbosa diz que nunca falou com ele. Não há detalhes sobre o que teria causado a irritação do vice-presidente da Acrissul.

Vídeo: vice-presidente da Acrissul usa nome de político, xinga PM e é presoA equipe de reportagem tentou contato com a Acrissul, mas até o momento a entidade não se manifestou oficialmente sobre o episódio.

“Eu nunca falei com o senhor, o senhor é mentiroso, nunca falei com você, eu tenho 72 anos. Eu não admito arrogância, o senhor pode ser polícia militar para bandido, para mim não! Eu sou advogado. Amanhã vou falar com o seu comandante”, disse Jonathan Barbosa.

Ainda segundo o vídeo, ele destaca que nunca falou com o major e que agora que ele é ouvidor e que não é da turma do André Puccinelli e nem do PT (Partido dos Trabalhadores). “Eu não admito molecagem e se vocês estão aqui é porque falei com o governador para os mandarem para cá. Eu não admito mentira. Você sabia que sou presidente da Constituinte, considerado patrono da Polícia Militar seu moleque”, pronuncia o vice-presidente.

Na verdade, o patrono da PM de Mato Grosso do Sul é Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, que acabou morto pelo governo português no período colonial durante a Inconfidência Mineira. Jonathan foi deputado estadual e chegou a presidir a Assembleia Legislativa de MS.

Em dado momento, o pecuarista fica na frente do policial e, com dedo em riste, o desafia a prendê-lo. Assim que chamou o oficial da Polícia Militar de moleque, Jonathan recebeu voz de prisão e os outros policiais que acompanhavam as cenas anteriores ajudaram a conter o detido. Segundo informações o vice-presidente da Acrissul foi encaminhado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), da Vila Piratininga, região sul de Campo Grande.

Houve informações de que teriam sido feitas ligações para superiores a fim de ‘minimizar’ o desacato. Segundo dados preliminares, o pecuarista teria pago fiança para deixar a delegacia, mas na Depac Piratininga, para onde teria sido conduzido, ninguém confirmou o desfecho do caso em virtude da troca de plantão. 

Clique aqui para ver o vídeo.

Jornal Midiamax