A poupança levou um tombo nos quatro primeiros meses do ano

A poupança levou um tombo nos primeiros quatro meses do ano. O volume de dinheiro que os brasileiros tiraram dos bancos, de janeiro a abril, já é maior do que o que foi depositado no ano passado inteiro.

Para muita gente faz tempo que não está dando para guardar um trocadinho. A poupança sentiu este abandono.

No mês de abril, os brasileiros sacaram da poupança R$ 5,85 bilhões a mais do que depositaram, foi o pior abril dos últimos 20 anos, e tem sido ruim desde o começo de 2015. Só neste ano, a poupança já perdeu R$ 29 bilhões.

“Inflação alta, juros altos, aumento de impostos de uma forma forte, por exemplo, na conta de energia. Menos dinheiro sobra para as famílias depositarem na poupança e, para complementar o orçamento, as famílias estão sendo obrigadas a resgatar saldos da poupança”, explica Miguel José Ribeiro de Oliveira, vice-presidente da Associação dos Executivos de Finanças.

Para ter noção do quanto a poupança está sem moral ultimamente, a equipe de reportagem fez uma conta levando em consideração a inflação do começo do ano até março. Supondo que em janeiro, a opção seria comprar um telefone celular que custava R$ 1 mil e, em vez disso, a pessoa preferiu guardar essa grana, colocar na poupança e fazer render para comprar depois, em março, o dinheiro rendeu bem pouquinho e virou R$ 1017. Já o telefone celular, com a inflação acumulada, passou a custar R$ 1038, ou seja, com o dinheiro da poupança não dá mais para comprar o telefone.

“Esse quadro vai continuar acontecendo porque os fatores que levaram a essa queda nos depósitos vão estar presentes nos próximos meses, com um agravante agora, que é o desemprego crescendo”, explica Miguel.