Polícia

Trio que tentou furtar agências é suspeito de crimes na Capital e interior

Quadrilha é especializada em furto a caixas eletrônicos

Midiamax Publicado em 30/11/2015, às 20h00

None
3f6990b1-84be-4cc6-934c-bff26c30a25e.jpg

Quadrilha é especializada em furto a caixas eletrônicos

O trio goiano preso por tentar furtar agências do Bradesco em Campo Grande neste domingo (29) pode ter roubado bancos na Capital e no interior. Formado por Vinicius Alves Barbosa, de 27 anos, sua noiva Aline Cândida Araujo, de 22 anos, e Jhonny da Silva Neves, de 22 anos, o trio faz parte de quadrilha especializada em furtos a caixas eletrônicos.

Casal identificado como Carlos e Tainara, que fugiu na hora da prisão e está foragido, também faz parte da quadrilha de Goiânia que praticava furtos em Goiás e em Mato Grosso do Sul. Com o dinheiro roubado, iam para o Paraguai e compravam mercadorias contrabandeadas para revender no camelódromo de Goiânia, onde Carlos teria banca.

A tentativa

O trio preso chegou sexta-feira em Campo Grande e o casal foragido no sábado. Todos ficaram hospedados em hotel e no domingo de manhã foram até três agências do Bradesco: a do Coronel Antonino, a da Mato Grosso e a da Afonso Pena com a Calógeras. Os criminosos colocaram dispositivos com sistema de pesca por envelope de depósito dentro de caixas eletrônicos das agências, foram almoçar e passariam em seguida recolhendo o dinheiro.

Primeiro passaram na Agência da Coronel Antonino, onde não conseguiram nada, arrombaram um caixa eletrônico, o alarme disparou e fugiram. A polícia foi acionada e o SIG (Sistema de Investigações Gerais) da Depac Centro e do Departamento de Polícia da Capital conseguiram interceptar o grupo quando eles iam recolher envelopes na agência da Afonso Pena.

A quadrilha estava em dois carros, um Polo vermelho, que foi apreendido e estava com todos os equipamentos dos dispositivos, onde Aline esperava Vincius e Jhonny (presos em flagrante), e um Corola prata, onde estava o casal Carlos e Tainara, que fugiu e está foragido.

E agora?

De acordo com a delegada Priscilla Anuda, da Depac Centro, o juiz converteu em preventiva a prisão do trio por furto qualificado mediante fraude na forma tentada e associação criminosa e os foragidos estão com mandado de prisão decretado.

Foi a delegada que confirmou que há possibilidade de a quadrilha ser responsável por furtos semelhantes no interior, na Capital e em Goiás. O trio foi identificado em imagens de segurança de bancos, mas nenhum deles nem do casal foragido possui passagem.

O Garras vai assumir investigações para ver a participação em outros crimes com sucesso. Segundo o delegado Dr. Fabio Peró, já tem inquéritos do mesmo modus operandi e os investigadores vão levantar e tentar associar os que já foram presos com a quadrilha.

O advogado do trio, Wilton Celeste Candelório, declarou que vai tentar revogar a prisão preventiva, alegando que Vinicius e Jhonny são réus primários, “têm residência fixa e bons antecedentes”. Wilton alega que Aline, a noiva de Vinicius, estava no carro e não sabia do crime. Caso a prisão preventiva não seja revogada, o advogado tentará o Habeas Corpus.

Jornal Midiamax