Polícia

Travesti é morta com 15 facadas sob suspeita de briga por causa de ponto

Ela não foi identificada pela Polícia Civil

Renata Portela Publicado em 25/11/2015, às 10h47

None
depac_piratininga-gw_1.jpg

Ela não foi identificada pela Polícia Civil

Na madrugada desta quarta-feira (25), por volta da 1 hora, uma travesti que não teve nome ou idade identificadas pela Polícia Civil, foi morta a facadas na Rua Ucy Nagamine, no Bairro Universitário, região sul da Capital. Ela foi morta com 15 facadas e o caso é investigado.

De acordo com o registro policial, feito na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga, uma testemunha passava pela Rua Ucy Nagamine, quando viu a vítima caída no chão e acionou o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). O médico socorrista constatou a morte da vítima por volta da 1h30 e a Perícia foi acionada.

Ainda segundo o boletim de ocorrência, a informação da Perícia é que a travesti foi esfaqueada na Rua Elvira Matos de Oliveira e andou até o cruzamento com a Rua Ucy Nagamine, onde caiu. Alguns metros antes do local onde a vítima foi encontrada, os policiais localizaram um chinelo, um fone de ouvido e uma faca de serra, sem vestígios de sangue.

Segundo a Perícia, a travesti foi ferida por 15 facadas, 5 no tórax, 4 no lado direito das costas, 4 no lado esquerdo das costas, 1 na perna esquerda e 1 na nuca. Populares informaram os policiais que viram a vítima momentos antes, na garupa de uma motocicleta, mas não souberam dizer o modelo ou a placa do veículo.

Como a vítima não portava documentos, ela não foi identificada. A polícia também não soube informar a idade e, segundo policiais que atenderam a ocorrência, a suspeita é de que o crime tenha ocorrido após disputa por ponto, já que a região é conhecida por ser ponto de travestis. O caso foi registrado como homicídio simples.

Jornal Midiamax