Polícia

Sábado de Carnaval tem tiroteio e termina com três mortes em Campo Grande

A arma usada em um dos crimes; uma mulher e dois homens foram mortos

Wendy Tonhati Publicado em 15/02/2015, às 11h29

None
unnamed_5.jpg

A arma usada em um dos crimes; uma mulher e dois homens foram mortos

O sábado de Carnaval (14) foi violento em Campo Grande, com o registro de três mortes, todas por volta das 21 horas. Os homicídios ocorreram nos bairros São Francisco e Estrela D’Alva 3.

No Bairro Estrela D’Alva 3, Eloísa Chaves, de 44 anos, e Renner Oliveira Amaro, de 22 anos, foram mortos com vários tiros. De acordo com o boletim de ocorrência, as mortes aconteceram após uma troca de tiros motivada por uma rixa.

A Polícia Civil e o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foram acionados, mas quando chegaram ao local as vítimas já estavam mortas. Renner foi atingido por cinco tiros. Já Eloísa morreu com seis disparos.

A polícia apurou no local do crime que Renner teria ido com amigo, Ricardo Henrique dos Santos, de 28 anos, conhecido como Negão, em uma casa na Rua Águia Real, onde mora o suspeito do crime, identificado como Thiago. Os dois teriam feito vários disparos contra a mãe e a namorada de Thiago. Houve troca de tiros entres os envolvidos, Renner foi baleado e morreu no local.  

Consta no boletim de ocorrência que Aguida e Thais, familiares de Thiago, foram baleadas, provavelmente por Renner, que estaria portando um revólver calibre 38. As vítimas foram socorridas para Santa Casa de Campo Grande.

Aguida está estado grave, após levar um tiro no tórax e outro na perna. Já Thais, foi atingida por um disparo na perna.

Thiago teria revidado os disparos contra Renner e, segundo testemunhas, foi até a residência de Negão, onde foi atendido pela mulher dele, Eloisa, e fez vários disparos contra ela, que também morreu no local.

Testemunhas relataram à polícia que havia uma rixa antiga entre os amigos de Renner e os amigos de Thiago, sendo que já foram registradas tentativas de homicídio entre os rivais.

Ainda segundo o relato de Negão à polícia, Renner foi quem teria feito os disparos contra a família de Thiago. A Polícia civil fez diligências para encontrar Thiago, mas ele não foi localizado.

Os casos foram registrados em boletins de ocorrência de homicídio doloso e tentativa de homicídio na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro da Capital.

São Francisco

Já o outro assassinato ocorreu no bairro São Francisco, por volta das 21h50 do sábado. Artur Alves Ferreira, de 54 anos, foi atingido por disparos feitos por um homem que estava em um veículo Fiat Palio, segundo o boletim de ocorrência.

A Polícia Militar foi acionada para atender a uma ocorrência de briga na Rua Teodomiro Serra. Os militares encontraram duas motocicletas tentando sair do local e os pilotos foram abordados.

Eles confirmaram que tinham se envolvido em uma briga. Durante a abordagem, uma pessoa que passava pela rua informou aos policiais que havia um baleado na mesma rua.

Os militares foram até o local e a mulher da vítima confirmou que os suspeitos estavam em um veículo Fiat Pálio. Ela contou que o filho dela havia encaminhado Artur para Santa Casa de Campo Grande e disse que suspeitava que o ex-marido, Jerry Adriano Alves da Costa, de 32 anos, tivesse feito os disparos. A vítima acabou morreu no hospital. 

A mulher disse ainda que, pouco antes do crime, o ex-marido passou no local onde ela e o marido estavam e fez várias ameaças. Logo depois, o veículo passou no local e uma pessoa fez vários disparos.  

O BPCHoque (Batalhão de Choque da Polícia Militar) fez buscas e encontou o suspeito Jerry Adriano e um amigo, Ozéias Santos Araujo, que é suspeito de ajudar na fuga dele. Com eles foi apreendido um revólver e o veículo utilizdo para fugir. O caso também foi registrado na Depac do Centro de Campo Grande.

Jornal Midiamax