Polícia

Polícia Civil acredita que corpo pode ter sido ‘desovado’ na Cachoeira do Inferninho

O caso será tratado como homicídio doloso

Midiamax Publicado em 13/04/2015, às 12h05

None
20150412_185422.jpg

O caso será tratado como homicídio doloso

O corpo encontrado no domingo (12), segue no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) sem identificação. A vítima tinha no corpo vários sinais de perfurações, fato que a polícia diz acreditar que, ela tenha sido ‘desovada’.  As lesões teriam sido provocadas por disparos de arma de fogo.

O corpo foi localizado próximo da ponte da Cachoeira do Inferninho, região norte de Campo Grande, por praticantes de rapel. O fato ocorreu por voltas das 18 horas, quando eles acionaram o Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança).

O Corpo de Bombeiros esteve no local fazendo a preservação até a chegada da Polícia Civil e da Perícia Criminal, que ocorreu por volta das 20 horas.

O corpo da vítima foi descrito como sendo do sexo masculino, de pele clara, calvo, trajando calça jeans e camiseta na cor cinza com estampas, conforme informações contidas no boletim de ocorrência. O caso foi registrado como homicídio doloso, com intenção de morte, pela Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro. 

Jornal Midiamax