Polícia

Polícia acredita que prefeito afastado de Bela Vista tenha cometido suicídio

Testemunhas serão ouvidas nesta quinta-feira

Renata Portela Publicado em 29/10/2015, às 14h03

None
prefeito_bela_vista.jpg

Testemunhas serão ouvidas nesta quinta-feira

O prefeito afastado Renato de Souza Rosa, de Bela Vista foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (29) em Jardim, cidade a 239 quilômetros de Campo Grande. Equipes da Polícia Militar, Polícia Civil e da Perícia estiveram no local e, segundo o delegado Alex Sandro Antônio, tudo indica que Renato tenha cometido suicídio.

A Polícia Militar recebeu ligação anônima às 8h10, informando que havia um homem morto no apartamento 2 de um conjunto residencial, localizado na Rua Tenente Ary Rodrigues. A equipe foi até o local, constatou o fato e acionou a Polícia Civil. De acordo com o delegado Alex Sandro, Renato morreu com um tiro, na altura do peito, acima do coraçao. O tiro foi disparado por uma pistola Bereta 6,35, que foi apreendida e encaminhada para perícia.

Ainda de acordo com o delegado, não havia sinais de luta ou de violência no quarto, o que fortalece a hipótese de suicídio. As equipes policiais passaram a manhã no apartamento, que estava alugado no nome do genro de Renato, e colheram provas. O caso deve ser registrado na Delegacia de Polícia Civil do município e testemunhas serão ouvidas durante a tarde.

De acordo com o Alex Sandro, não há informação precisa sobre a hora em que o disparo da pistola foi efetuado e que o prefeito morreu. O horário do velório de Renato ainda não foi divulgado.

Alvo de investigação de improbidade administrativa, o prefeito foi afastado por 180 dias durante sessão da Câmara no dia 17 de agosto. O presidente da Câmara Waldez Claro deu posse ao vice Douglas Gomes (PP), que agora assume o cargo de prefeito.

A câmara de Bela Vista instaurou uma CPI para investigar a improbidade, após receber documento da Promotoria de Justiça acerca de diversas irregularidades, como a falta de pagamento de funcionários do Hospital São Vicente de Paula por três meses. Oito dos 11 vereadores votaram a favor.

Jornal Midiamax