Polícia

PMA autua fazendeiro em R$ 7,1 mil por exploração ilegal de madeira

A madeira explorada ilegalmente seria transformada em toras

Diego Alves Publicado em 26/11/2015, às 00h38

None
13179987620.png

A madeira explorada ilegalmente seria transformada em toras

 Policiais militares ambientais de Campo Grande autuaram um  proprietário rural em R$ 7.100,00 por extração ilegal de madeira em Bandeirantes. Ele responderá por crime ambiental. Se condenado, poderá pegar pena de um a dois anos de reclusão.

O funcionário de uma fazenda na região havia derrubado 12 árvores da espécie aroeira (proibida de corte), além de três árvores da espécie “ipê”, sem autorização do órgão ambiental.

A madeira explorada ilegalmente seria transformada em toras, em estacas, postes e palanques para cerca e era retirada da área protegida de reserva legal da fazenda. As atividades ilegais foram paralisadas.

A portaria 83N de 1991 do IBAMA proíbe o corte da “aroeira” e algumas outras espécies de madeiras nobres, sem plano de manejo, que precisa ser aprovado pelos órgãos ambientais. Inclusive, em desmatamentos autorizados, essas espécies não podem ser cortadas.

Jornal Midiamax