Polícia

Paulistas ‘caras de pau’ vêm para a Capital aplicar golpe e são presos em flagrante

Golpe consiste em instalar um dispositivo na caixa eletrônico que retém as notas no momento do saque

Wendy Tonhati Publicado em 17/01/2015, às 19h21

None
img-20150117-wa0055.jpg

Golpe consiste em instalar um dispositivo na caixa eletrônico que retém as notas no momento do saque

A Polícia Militar prendeu dois paulistas na tarde deste sábado (17), após eles aplicarem o golpe conhecido como ‘chupa cabra’, em uma agência da Caixa Econômica Federal, na Rua Barão do Rio Branco, em Campo Grande. O golpe consiste em instalar um dispositivo na caixa eletrônico que retém as notas no momento do saque.

Os dois suspeitos, Acácio Correa de Brito, de 29 anos, e Aroldo de Oliveira, de 35 anos, foram presos em flagrante, ainda dentro do banco, por policiais da 5ª CIPM (Companhia Independente de Polícia Militar), após uma denúncia anônima. Com eles foram encontrados cerca de R$ 1,2 mil, que seriam fruto do golpe, e três celulares.

Segundo policiais da 5ºCIPM, as duas vítimas do golpe permaneceram dentro da agência bancária após perceberem que o dinheiro estava preso no caixa eletrônico, e o banco foi acionado. Por meio das imagens de segurança, a polícia foi informada que os responsáveis por instalar o dispositivo eram os dois homens que também estavam na agência.

O dispositivo utilizado pela dupla é similar à frente de um caixa eletrônico, mas não possui um botão que é encontrado nas outras máquinas. Eles ainda colocaram um adesivo, que indica a saída das cédulas.  

A dupla, que é da região de Itaquera (SP), foi presa e encaminhada para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro da Capital. Os golpistas já possuem passagem pela polícia, mas disseram que nunca tinham aplicado este golpe.

Uma das vítimas, uma telefonista de 27 anos, relatou ao Jornal Midiamax que no momento em que foi realizar o saque não desconfiou que estivesse caindo em um golpe. Ela e outra mulher, que também teve o dinheiro retido, ainda alertaram aos suspeitos sobre o mau funcionamento dos caixas.

Conforme a vitima, um dos suspeitos foi utilizar o caixa logo após ela tentar sacar e que ela avisou que não estava funcionando. Ele disse que não faria a retirada do dinheiro e ainda ofereceu ajuda para ela.

A telefonista foi em outro caixa eletrônico e pelo saldo, descobriu que o dinheiro tinha sido debitado da conta, por isso, permaneceu no local. Um dos suspeitos ainda teve coragem de debochar da situação. “A gente falou de ligar para a polícia e ele disse: liga mesmo, que eles resolvem”, diz a vítima. 

Jornal Midiamax