Polícia

MST bloqueia quatro rodovias de MS pedindo aceleração na reforma agrária

Previsão é de que os manifestantes mantenham as rodovias bloqueadas durante toda a manhã 

Wendy Tonhati Publicado em 05/01/2015, às 11h06

None
capa_destaque.jpg

Previsão é de que os manifestantes mantenham as rodovias bloqueadas durante toda a manhã 

Pessoas ligadas ao MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) estão bloqueando duas rodovias na manhã desta segunda-feira (5), em Mato Grosso do Sul. Estão bloqueadas as BRs-163, em Itaquiraí, 163-, em Nova Alvorada do Sul, BR-267, em Nova Casa Verde, distrito de Nova Andradina e 262, em Terenos. 

O bloqueio faz parte de movimento chamado Jornada Nacional de Lutas, que pede a aceleração da reforma agrária em todo o país. Em Terenos, participam da manifestação cerca de 100 pessoas, desde as 6 horas, enquanto em Nova Casa Verde são cerca de 200 manifestantes bloqueando a rodovia desde as 4 horas.

Problemas relacionados à reforma agrária são o ponto principal do movimento. Segundo a assessoria do movimento, em Mato Grosso do Sul, o MST quer a liberação de áreas já vistoriadas pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), andamento nas vistorias e a reestruturação do órgão, que eles alegam estar com a estrutura sucateada, sofrendo com falta de equipamentos e pessoal capacitado para tocar os projetos .

Em nível nacional, o movimento pede o assentamento de 120 mil famílias no primeiro ano de governo da presidente, Dilma Rousseff (PT), e de 50 mil famílias por ano, nos outros três anos de mandato.A previsão é de que os manifestantes mantenham as rodovias bloqueadas durante toda a manhã. Já é registrado congestionamento na BR-267, onde os manifestantes estão queimando pneus. 

Segundo Marina Ricardo Nunes, que faz parte da direção do MST, a Jornada começou no dia 1º de janeiro, com a posse da presidente Dilma Rousseff, em que o movimento se manifestou contra alguns nomeados pela presidente como a senadora Kátia Abreu, que assumiu o ministério da Agricultura. Marina diz que a pauta do movimento não muda e os assentados e acampados estão dando continuidade a reivindicações que não tiveram êxito.

“São as áreas de assentamento. Em Matos Grosso do Sul ao longo dos de todos os mandados, foram assentadas  170 famílias de um universo de mais de 3 mil famílias acampadas. Pedimos agilidade nesse processo. O maior objetivo é reivindicar áreas para o Estado para que as famílias tenham a sua autonomia”, afirma. 

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) orienta que os motoristas que estiverem saindo de viagem com passagem por aquele ponto da rodovia que, na medida do possível, adiem a saída ou façam paradas em pontos de apoio antes do bloqueio.

Jornal Midiamax