Polícia

Mais de 1,3 mil policiais reforçarão segurança no centro da Capital em dezembro

Ação faz parte de operação de fim de ano

Renata Portela Publicado em 25/11/2015, às 13h48

None
operacao1-672x372.jpg

Ação faz parte de operação de fim de ano

A partir do dia 1 de dezembro, a região central de Campo Grande será policiada por pelo menos 1.316 militares, em equipes a pé, de bicicleta, a cavalo, em motocicletas e viaturas. O aumento no número de policiais agindo no centro faz parte da Operação Fim de Ano Feliz, da Polícia Militar.

De acordo com o comandante-geral da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul), coronel Deusdete Souza de Oliveira Filho, 1.200 policiais trabalharão na área central no período do fim de ano, além dos 116 soldados, alunos do CFAP (Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças). A intenção é alcançar os 1.500 policiais, mas o número de efetivo ainda será discutido em reunião com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Também segundo Deusdete, na próxima semana serão entregues as 10 viaturas para o Batalhão de Choque, que vai auxiliar no policiamento especial. A PMMS ainda tentará viabilizar mais 6 viaturas para atender casos específicos de violência doméstica. A operação vai de 1 de dezembro até 8 de janeiro, mas a intenção é prolongar a ação até o carnaval, quando outra operação será realizada.

Policiamento no centro

Segundo o comandante do Policiamento Metropolitano, coronel Francisco de Assis Ovelar, o aumento no efetivo policial foi definido no quadrilátero central de Campo Grande, onde há maior fluxo, atingindo até 300 mil pessoas por dia que passam pela região. Terminais, pontos de ônibus, camelódromo e feiras, onde há maior aglomerado de pessoas, terão cuidado especial por parte da polícia, para coibir ação de bandidos.

Serão distribuídas 50 mil cartilhas com dicas de segurança. Até o momento, 10 mil cartilhas já foram impressas e serão entregues nos pontos comerciais. De acordo com Deusdete e Ovelar, o Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança) recebe 3.500 mil ligações diárias. Os horários mais críticos, em análise às ligações, são às 11h30 e 19 horas, em que serão dadas ênfase especial no policiamento.

Ainda segundo a polícia, houve aumento significativo no roubo de celulares. Os populares costumam ficar desatentos e com os aparelhos em mãos, e os assaltantes aproveitam desse momento para tomarem os objetos. A falta de atenção acaba tornando as pessoas alvos fáceis dos criminosos.

Região próxima ao shopping, a bares, clubes, restaurantes e também de bancos, também terão maiores cuidados da polícia. Como neste período há liberação do 13º salário, também há grande fluxo de circulação de dinheiro e de movimentação de pessoas nos bancos, por isso haverá efetivo nas proximidades das redes bancárias.

Redução da criminalidade

De acordo com dados da polícia, de 1 de janeiro até 30 de outubro, foram abordadas 83 mil pessoas, 60 mil veículos, sendo 907 produtos de roubo e furto que foram recuperados. Foram presas 1.004 pessoas que estavam foragidas, 4.723 foram encaminhadas para as delegacias por atos infracionais e 279 armas de fogo foram apreendidas por ilegalidade.

Ainda segundo os dados, houve redução de 20% no número de homicídio e 40% de vítimas fatais no trânsito, fato atribuído às operações policiais realizadas na Capital, chegando a 544 ações. Para finalizar, haverá base móvel da polícia, que será instalada em locais críticos, conforme a necessidade apontada durante os dias de operação. Com o aumento do efetivo na operação, a intenção da polícia é diminuir criminalidade na área central da cidade, resultando em sentimento de segurança para a população.

Jornal Midiamax