Polícia

Laudo da perícia vai indicar causa da morte de mulher no Rancho Alegre

A princípio, Polícia Civil diz acreditar em morte natural 

Wendy Tonhati Publicado em 16/06/2015, às 12h54

None
img-20150616-wa0013.jpg

A princípio, Polícia Civil diz acreditar em morte natural 

O laudo pericial vai indicar a causa da morte de Gileide Barbosa da Silva, de 39 anos, encontrada morta na manhã desta terça-feira (16), no Loteamento Rancho Alegre 2, em Campo Grande. A princípio, segundo o delegado Bruno Urban, da 6ª Delegacia de Polícia Civil, Gileide teria morrido de causas naturais.

Um lençol manchado também foi recolhido pela perícia. Os peritos constataram que pelo estado do corpo, a mulher já estaria morta há pelo menos oito dias. Porém, os vizinhos garantem que ela foi vista na quinta ou sexta-feira da semana passada.

Gileide tem um histórico de derrame há 17 anos e os conhecidos sabiam que ela tinha outros problemas de saúde.

Morte

Gileide morava sozinha na residência e o corpo foi encontrado pelo filho dela. O Corpo de Bombeiros, as polícias civil e Militar e a perícia técnica foram acionadas.

A mulher tinha três filhos e morava sozinha e desde o começo do ano, quando se separou. Conforme os vizinhos, o ex-marido dela foi preso por violência doméstica, após agredi-la, e não se conformava com a separação.

Jornal Midiamax