Polícia

Juiz aceita delação premiada e Fabiano Otero é levado ao Gaeco para depor

Preso será beneficiado em troca de mais nomes

Éser Cáceres Publicado em 30/04/2015, às 13h11

None
gaeco.jpg

Preso será beneficiado em troca de mais nomes

Com o acordo de delação premiada para Fabiano Otero homologado nesta quinta-feira (29), o Gaeco (Grupo Armado de Combate ao Crime Organizado) entra nas investigações relacionadas ao escândalo que envolveu políticos de Campo Grande (MS) em crime de favorecimento à prostituição e suposta exploração sexual de adolescentes.

Na manhã desta sexta-feira (30) Fabiano, que está preso na DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), foi levado até a sede do Gaeco onde presta depoimento. A homologação da delação premiada pelo juiz da 7ª Vara Criminal de Campo Grande, Marcelo Ivo de Oliveira, assegura que Otero será beneficiado para ajudar as autoridades a investigar o envolvimento de mais pessoas no esquema.

Os benefícios podem incluir redução da pena e ate absolvição completa. Fabiano, segundo o advogado dele, Hamilton Ferreira de Almeida, teria mais nomes de ‘clientes’ que teriam participado de programas sexuais com três jovens. Pelo menos dez pessoas estariam implicadas e a maioria seria de políticos. Um inquérito já foi concluído pela DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) e terminou com o indiciamento de cinco pessoas por crime de favorecimento à prostituição.

Com a decisão judicial, as investigações passam a correr em sigilo.

Jornal Midiamax