Polícia

Jovens vão parar na polícia por abater e carnear bode reprodutor ‘fujão’

Animal havia fugido de uma propriedade rural no Cinturão Verde

Clayton Neves Publicado em 05/02/2015, às 13h55

None
unnamed.jpg

Animal havia fugido de uma propriedade rural no Cinturão Verde

M.J.A.S. (20) foi preso e C.D.S. (15) foi apreendido pela Rádio Patrulha da Polícia Militar na noite desta quarta-feira (4), enquanto eles carneavam um animal que havia fugido de uma propriedade rural da região do Cinturão Verde, em Três Lagoas, município 330 quilômetros a leste de Campo Grande. A ‘vítima’ era um bode reprodutor que estava sendo procurado pelo proprietário, após uma fuga.

Conforme informações do boletim de ocorrência, a polícia recebeu denúncia de que pelo menos três pessoas teriam abatido um animal e o estariam carneando em um local próximo ao Bairro Vila Piloto. Uma Rádio Patrulha foi verificar e encontrou a dupla em uma cabana de lona – eles estavam retirando a pele de um bode reprodutor da raça Sanio, de aproximadamente 5 anos.

Questionados, os dois alegaram que encontraram o animal na vegetação próximo a sede da Polícia Militar Ambiental e mesmo sabendo que o proprietário estava procurando pelo bode que havia fugido, resolveram abater o animal para alimentar-se da carne.

Ainda conforme o documento policial, o dono do bode, o sitiante A.M.B. (61), foi localizado pelos policiais e informado de que o animal havia sido encontrado, mas já estava morto. O proprietário lamentou o fato e alegou que um bode “erado” como aquele, custava aproximadamente R$1.500,00, pois ele era reprodutor do rebanho.

Quatro facas e uma serra foram apreendidos com a dupla, que foi levada – com o bode abatido – para a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) para as providências legais.

O proprietário do animal disse a reportagem que a carne não poderá ser reaproveitada, pois pelo decorrer do tempo em que a ocorrência foi registrada, os cortes serão impróprios para o consumo.

A reportagem foi informada que a dupla poderá ser autuada por crime ambiental e maus tratos a animais.

Jornal Midiamax