Polícia

Funcionário não aceita participar de ‘cabrito’ dos colegas e ainda é ameaçado

Ele denunciou o caso à polícia

Renata Portela Publicado em 10/11/2015, às 14h54

None
depac_dourados-gw_3.jpg

Ele denunciou o caso à polícia

Na manhã desta terça-feira (10), o funcionário de uma empresa de Dourados, cidade a 225 quilômetros de Campo Grande, procurou a Polícia Civil para denunciar ameaças que sofreu no ambiente de trabalho. De acordo com ele, outros trabalhadores superfaturam notas fiscais e ele foi ameaçado após se negar a participar do esquema.

Segundo informações do boletim de ocorrência, a vítima trabalha em uma indústria de vidro e notou que colegas de trabalho estavam alterando os valores das notas fiscais do abastecimento dos veículos. O rapaz afirma que foi orientado pelos outros funcionários a fazer a mesma coisa e, com medo de perder o emprego, comunicou o supervisor.

Ainda segundo o relato da vítima, após avisar o supervisor da empresa, ela recebeu mensagem no celular, com ameaças de morte. A mensagem, gravada em áudio, dizia que a vítima seria morta por ter entregado o caso. O rapaz afirma que desconhece o número que enviou a mensagem e que não conseguiu identificar o funcionário a quem o telefone pertence.

O caso foi registrado na Delegacia de Polícia Civil de Dourados como ameaça.

Jornal Midiamax