Família de professor de informática executado nega ameaças a suspeito

Crime aconteceu no dia 16 de março deste ano na Rua Maracaju, centro da Capital
| 30/07/2015
- 19:19
Família de professor de informática executado nega ameaças a suspeito

Crime aconteceu no dia 16 de março deste ano na Rua Maracaju, centro da Capital

Familiares de Bruno Soares Santos, 30 anos, que foi assassinado no dia 16 de março deste ano em uma escola de curso profissionalizante na Rua Maracaju, negam terem ameaçado Francimar Câmara Cardoso, apontado como o autor do crime.

Segundo a tia de Bruno, Marli Soares da Silva, 54 anos, na Audiência da última terça-feira (28), Francimar teria afirmado que estaria sofrendo ameaças por parte dos familiares da vítima.

“Nós clamamos por Justiça. Ele está preso e como é que poderíamos ameaçá-lo. O crime que ele praticou foi bárbaro, sem dar chances de o meu sobrinho se defender. Ele está buscando uma forma de tirar o foco do caso e confundir quem vai julgar. Queremos é justiça”,afirma Marli.

A tia da vítima ainda disse que teme que Francimar seja solto antes do julgamento. “Sei que existem meios jurídicos que podem proporcionar que ele seja solto, mas pedimos que isso não seja feito, pois aí quem estará correndo riscos somos nós ou qualquer outra família”, conclui a tia. 

Veja também

Um homem foi preso por furtar fios de uma residência que funciona como depósito por...

Últimas notícias