Polícia

Estelionatário cai em ‘armadinha’ de policial militar e acaba preso

O autor fingia interesse em produtos vendidos no OLX e os levava sem pagar

Midiamax Publicado em 20/05/2015, às 21h43

None
474_-_gw.jpg

O autor fingia interesse em produtos vendidos no OLX e os levava sem pagar

Um possível estelionatário, que não teve o nome divulgado pela polícia, foi preso na tarde desta quarta-feira (20) depois de cair em uma ‘armadinha’ feita por um policial militar. A iniciativa do PM aconteceu após o filho, de 20 anos, ser enganado pelo homem, na última segunda-feira (18).

A história começou quando o rapaz anunciou a venda de uma jaqueta no site OLX. Pouco tempo depois, ele recebeu a ligação de um homem que mostrou o interesse pelo produto e marcou um encontro em frente ao UPA (Unidade Pronto Atendimento) Guaicurus para pegar a produto.

Por telefone, o estelionatário explicou que a filha estava doente, por isso o melhor lugar para ele era na unidade de saúde. Na noite de segunda-feira o jovem foi até o local marcado e encontrou o homem, que experimentou a roupa e falou ia fechar negocio. “Ele enrolou ela [jaqueta] no braço e falou que ia buscar o dinheiro, entrou pela porta de emergência do UPA e não voltou mais”, relata a vítima que não quis se identificar.

Depois de várias ligações sem sucesso, o rapaz percebeu que havia caído em um golpe e contou para o pai. O militar resolveu então colocar ‘uma isca’ no mesmo site. Fotografou o celular e o relógio e anunciou a venda por um preço bem acima do mercado.

“Coloquei na terça-feira, na noite do mesmo dia ele me ligou, mas falando que a mulher estava doente”, conta o sargento da Polícia Militar. Os dois marcaram de se encontrar em uma oficina mecânica, localizada na Avenida Guaicurus. Desta vez o militar foi acompanhado de outros dois policiais civis a paisana e assim conseguiu prender o autor.

Já na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga, o homem confessou que vendeu a jaqueta do golpe por R$ 50 em uma ‘boca de fumo’ para comprar crack. “Também achamos que ele tem um comparsa, quando perguntei como ele faria para levar meu celular ele falou que ia ter ajuda de outra pessoa”, afirma o militar.

Para pai e filho o homem pode ter feito várias vítimas. “No próprio posto de saúde o Guarda Municipal contou que uma mulher tinha passado pela mesmo situação que eu no dia anterior”, alega a vítima. De acordo com o delegado Gomides Ferreira dos Santos Neto equipes da delegacia estão realizando diligência para recuperar a jaqueta. 

Jornal Midiamax