Polícia

Dez dias depois, homem agredido a pauladas morre no hospital

A vítima e um colega foram espancados no dia 12 de junho 

Midiamax Publicado em 23/06/2015, às 21h48

None
557a6bed28591c89155dd0eaeb3bbde0bae199c39b893_sam_3270.jpg

A vítima e um colega foram espancados no dia 12 de junho 

A vítima identificada como Valdir Campos de Carvalho, de 43 anos, conhecido como “Negão, morreu após ficar 10 dias internado no Hospital Auxiliadora de Três Lagoas, a 326 quilômetros de Campo Grande. O homem e Odair Rogério Louzada, que também morreu, foram espancado a pauladas no dia 12 de junho.

Segundo o site TL Notícias, o homem morreu no último domingo (21), mas só nesta terça-feira (23) foi identificado, depois que o laudo com as digitais dele, retornar para a Polícia Civil. “Negão” já esteve preso nas unidades prisionais paulistas de Pacaembu, Presidente Venceslau, Valparaíso e Taubaté pelos crimes de homicídios, tráfico de drogas e assalto.

Além disso, ele é suspeito de vários roubos e furtos praticados em Três Lagoas e também tentou estuprar e atear fogo em uma garota de programa na saída para a cidade de Brasilândia-MS.

Caso

O autor do homicídio, identificado Marcio da Conceição Santos, de 37 anos, foi preso dias depois pela Polícia Rodoviária Estadual (PRE) de Castilho e contou que espancou os colegas depois de ser ameaçado com uma faca.

O autor, natural de Anadia-AL, que na verdade queria matar “Negão” e que Odair Rogério Louzada, de 42 anos, morreu por estar na hora e lugar errado.

Segundo as declarações de Marcio, ele estava com os amigos ingerindo bebidas alcoólicas e consumindo “crack” quando teve um desentendimento com Valdir. “Tudo foi por causa de dinheiro e ele me colocou pra correr com uma faca e aí eu voltei e comecei a dar as pauladas nele. O outro rapaz não tinha nada a ver com a briga e como eu estava com raiva, também tentei matar ele que morreu de graça”, explicou o autor. 

Jornal Midiamax