Polícia

Depois da oposição, agora é a vez de a base atrasar votação da processante

Requerimento está engavetado há 40 dias

Midiamax Publicado em 29/06/2015, às 10h24

None
img-20150331-wa0059.jpg

Requerimento está engavetado há 40 dias

Continua a novela em torno do requerimento para comissão processante apresentado pela oposição contra o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP). Depois da oposição, agora é a base do prefeito que segura o pedido, que já tramita há 40 dias na Câmara.

Desta vez é o presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, Airton Saraiva (DEM) que atrasa a votação. A oposição pediu para a CCJ avaliar a possibilidade de reduzir de 20 para 15 o número de votos para a abertura e agora cabe a Saraiva marcar a sessão, o que até agora não aconteceu.

A manobra da oposição foi apresentada no dia 18 e a CCJ tinha prazo de 10 dias para análise, mas ainda não o fez, mesmo com pedido do presidente, Mario Cesar (PMDB), para que a avaliação fosse realizada o mais rápido possível.

Apesar da demora do presidente para avaliar o pedido, não deve haver surpresa na votação, visto que a maioria já disse ser favorável a 20 votos: Vanderlei Cabeludo (PMDB), Otávio Trad (PTdoB) e o próprio Saraiva. Alex do PT e Paulo Pedra (PDT) devem votar a favor dos 15 votos.

O clima ainda é de suspense na Câmara por conta da processante. Mesmo tendo vantagem, nem a base se arrisca a dizer que já enterrou o requerimento. Até o momento a oposição só tem como certo os votos de nove vereadores, contando com eles mesmos e com Carla Stephanini (PMDB) e Eduardo Romero (PTdoB).

Jornal Midiamax