Clínica de recuperação é interditada por ‘imundice’ e consumo de drogas

O dono do local venderia cigarros contrabandeados para os internos
| 22/07/2015
- 20:32
Clínica de recuperação é interditada por ‘imundice’ e consumo de drogas

O dono do local venderia cigarros contrabandeados para os internos

Na manhã desta quarta-feira (22), por volta das 7 horas, a clínica Abraçando Vidas, de Coxim, cidade a 253 quilômetros da Capital, foi interditada e tomada pela Polícia Civil. A clínica fica localizada no assentamento Vale do Taquari.

A operação, comandada pelos delegados Silvia Menck e Gustavo Mussi contou com a participação de policiais civis, que fizeram uma varredura no local, conforme apurou o site Edição de Notícias. A informação é de que pelo menos 20 pessoas foram detidas, entre internos e o responsável pela clínica, Roberto Softov.

A ação teve apoio da prefeitura, que fez o transporte dos detidos até a delegacia por meio da SAS (Secretaria de Assistência Social). De acordo com o que foi verificado, o local está imundo, os produtos são armazenados inadequadamente e os lixos ficam expostos. Além disso, quase todos os alimentos estavam vencidos.

Os colchões estavam em situação degradante e os remédios, usados no tratamento dos internos, estavam vencidos e armazenados de forma irregular. Todo o material foi apreendido e a Vigilância Sanitária foi acionada e interditou o local.

A equipe da Polícia Civil ainda encontrou vestígios de uso de entorpecentes na clínica que é destinada ao tratamento de dependentes químicos. A suspeita é de que, no local, ocorria o crime de abandono. Informações preliminares dão conta que Roberto Softov vendia cigarros contrabandeados para os internos.

Os delegados afirmam que uma porção de maconha foi encontrada na clínica, além de vários apetrechos para consumo de drogas, como cachimbos. O caso segue em investigação e ainda há suspeita de que uma criança, de 11 anos, estaria morando no local.

 

Veja também

Últimas notícias