Polícia

Caminhoneiro desaparecido após sair para fazer frete foi vítima de latrocínio

Ele foi contratado pelo autor do crime

Renata Portela Publicado em 01/10/2015, às 15h41

None
caminhao.jpg

Ele foi contratado pelo autor do crime

A Polícia Civil de Aquidauana, cidade a 143 quilômetros de Campo Grande, esclareceu o caso de desaparecimento do caminhoneiro Ronaldo Alegre Ribeiro, de 40 anos, que trabalhava como ajudante de operador de escavadeira e também fazia fretes. Ele foi morto durante um roubo, nas proximidades do município.

No boletim de ocorrência, registrado na quarta-feira (30), pela irmã de Ronaldo, ela informou que ele foi contratado para fazer um frete no início da tarde de terça-feira (29), na frente de um pesqueiro que fica no km 47 da estrada que liga Aquidauana a Nioaque. Ela disse aos policiais que tentou entrar em contato com o irmão e com a empresa de rastreamento do veículo, e foi informada de que o caminhão estaria em Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

A partir das investigações, os policiais chegaram até Ronevon Balta Custódio, de 31 anos. A informação é de que ele teria contratado Ronaldo para fazer um frete e, no local em que marcaram de se encontrar, atirou no caminhoneiro, atingindo-o na cabeça com um tiro de calibre 32. O suspeito ainda escondeu o corpo da vítima em um matagal e fugiu, levando o veículo roubado para o Paraguai.

O caminhão foi recuperado pelo Departamento de Automotores da polícia paraguaia. O veículo foi localizado após rastreamento na manhã desta quinta-feira (1º) e estava em uma marcenaria, onde passaria por pintura. Ronevon é filho de um militar do Exército Brasileiro e, após ser preso, confessou o crime.

O promotor de Justiça, Samuel Valdez, do Ministério Publico do Departamento de Amambay, manifestou que espera a confirmação das autoridades brasileiras para expulsar o autor do latrocínio, roubo seguido de morte, ao Brasil, para que possa ser julgado pelo crime.

Agentes da Policia Civil de Ponta Porã, comandados pelo delegado Jarley Inacio, se reuniram com as autoridades paraguaias para solicitar que o autor do crime possa ser entregue à justiça brasileira ainda nesta semana.

*Com informações do site Porã News

Jornal Midiamax