Polícia

Após atropelar idoso, homem vai para festa com advogados e faz barraco com a PM

Uma arma de fogo foi encontrada no interior do veículo 

Mikaele Teodoro Publicado em 08/11/2015, às 13h44

None
capa-1.jpg

Uma arma de fogo foi encontrada no interior do veículo 

O condutor de um veículo Fiat Strada placa NRW-5172 atingiu um ciclista idoso que trafegava pela Rua Alberto Araújo Arruda, no Bairro Mata do Jacinto, na manhã deste domingo (8). A vítima foi encaminhada em estado estável para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Coronel Antonino. O motorista, um homem que se apresentou como advogado de 28 anos, tentou fugir, se abrigou em uma festa de amigos e o caso terminou em confusão.

Por volta das 9 horas, depois de atingir o idoso, o condutor, que segundo populares aparentava estar embriagado, estacionou o veículo a poucos metros do local, em frente de uma casa onde acontecia uma festa. Instantes depois, um colega do homem, também de 28 anos, deixou a casa e quis fugir com o carro, na intenção de proteger o amigo que se envolveu no acidente.

Ao ser impedido pelos militares, a confusão começou. Dentro do veículo, foi encontrada uma arma e a Polícia Militar deu voz de prisão ao rapaz, que não tinha porte. Revoltado, o homem, que também afirmou ser ex-militar temporário do Exército, teria tentado intimidar os bombeiros com gritos de “quem são vocês para impedir que eu saia?” e “eu sou advogado”, “vocês não podem me algemar”.

Indignados, os supostos advogados causaram uma enorme confusão e foi preciso pedir reforço policial para conter os ânimos. Enquanto isso, o idoso, vítima da colisão, era socorrido e encaminhado para a UPA.

De acordo com o sargento Aparecido Ferreira Silva, da Polícia Militar, o grupo voltava de uma festa de aniversário no Bairro Carandá Bosque e decidiu continuar o festejo na casa onde aconteceu a confusão. Ainda segundo o sargento, o homem preso foi enquadrado no crime de posse ilegal de arma de fogo e será conduzido para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro.

Os policiais entraram em contato com o Comando Militar e teriam sido orientados de que não há nenhum impedimento quanto ao uso de algemas em advogados. Já o condutor que se envolveu no acidente responderá por omissão de socorro, porque ele teria fugido e se escondido na casa dos colegas. 

Jornal Midiamax