Polícia

Agepen oferece cela especial para ex-vereador preso em escândalo sexual

Robson é advogado e pediu prisão domiciliar

Midiamax Publicado em 21/05/2015, às 11h53

None
405296_372266166123746_594034924_n_1.jpg

Robson é advogado e pediu prisão domiciliar

O desembargador Luiz Gonzaga Mendes Marques encaminhou um ofício  ao juiz Marcelo Ivo de Oliveira, titular da 7ª Vara Criminal de Campo Grande, informando sobre uma vaga para o ex-vereador Robson Martins. O ex-vereador está preso na Derf por falta de uma cela especial, que tem direito até o julgamento, por ser advogado.

Segundo ofício, há vaga para Robson Martins na cela 17 do Centro de Triagem “Anísio Lima”. Robson tentou prisão domiciliar, mas teve o pedido negado pelo juiz, que pediu para a Polícia Militar, Justiça Militar, Exército e Agepen (Agência de Administração do Sistema Penitenciário) informar se há, em alguma de suas unidades, cela especial, chamada sala de Estado Maior, para receber o ex-vereador. Com anúncio da vaga, Robson deve ser transferido.

O ex-vereador está preso por ter sido flagrado extorquindo R$ 15 mil do então vereador Alceu Bueno (sem partido, ex-PSL). O dinheiro seria para impedir a divulgação de vídeos nos quais o agora ex-parlamentar aparecia praticando sexo com adolescentes.

O caso seria parte de um esquema de exploração sexual das jovens, que registravam os encontros com figuras públicas em câmeras escondidas. O conteúdo, em seguida, seria usado como meio de chantagem para extorquir os ‘clientes’.

Após a revelação do caso, que chegou ao conhecimento da polícia, Alceu Bueno renunciou ao cargo de vereador. Além dele, o ex-deputado estadual Sérgio Assis (sem partido, ex-PSB) também foi indicado por favorecimento à exploração sexual no caso.

Com Robson Martins foi preso o empresário Luciano Pageu, dono de uma revista direcionada ao público evangélico. Outro apontado como envolvido no esquema e já preso é Fabiano Viana Otero, que fez acordo de delação premiada com a Justiça para entregar outros supostos participantes no caso – a investigação corre sob sigilo.

Jornal Midiamax