Polícia

Sinpol vai discutir com representantes da ONU sobre presos nas delegacias

Acontece amanhã (26), às 13h30, na Assembleia Legislativa, audiência pública sobre a superlotação das delegacias de Mato Grosso do Sul, transformadas em carceragem e a ilegalidade da situação. O assunto será discutido por diversos órgãos competentes do Estado e contará com a participação de representantes dos Direitos Humanos ligados a ONU (Organização das Nações Unidas). […]

Arquivo Publicado em 25/03/2014, às 17h56

None

Acontece amanhã (26), às 13h30, na Assembleia Legislativa, audiência pública sobre a superlotação das delegacias de Mato Grosso do Sul, transformadas em carceragem e a ilegalidade da situação. O assunto será discutido por diversos órgãos competentes do Estado e contará com a participação de representantes dos Direitos Humanos ligados a ONU (Organização das Nações Unidas).

O evento promovido pela Sinpol – MS (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul), com apoio do deputado estadual Pedro Kemp (PT), pretende mostrar as irregularidades na carceragem de presos feita por policiais civis e suas consequências para a população.

O vice-presidente do Sinpol, Roberto Simião, reclama da situação e destaca que o sindicato já fez tudo e que os órgãos competentes estão cansados de saber da situação. Segundo ele, o problema afeta a todos, o policial civil, que desempenha função que não é sua, os presos que vivem em condições subumanas encarcerados nas celas das delegacias e a população, em virtude dos presídios e delegacias lotadas, convivem diariamente com a insegurança.

A audiência faz parte de uma série de ações e manifestações que devem acontecer nos próximos dias em todas as delegacias do Estado. Ontem (24), diretores do Sinpol levaram faixas com pedidos de melhores condições de trabalho para frente da 1ª Delegacia de Polícia de Campo Grande, no centro da cidade. Hoje (25) os protestos acontecem em Nova Andradina e na quinta-feira, voltam a Campo Grande.

Participarão do evento, Sejusp/MS, Agepen, Covepe, MPE-MS, OAB-MS, Adepol-MS, Defensoria Pública de MS, Juizado de Direito da Vara da Infância e da Juventude, além dos representantes da ONU. No final da audiência será entregue um relatório da situação atual da carceragem de presos nas delegacias de MS, para que os órgãos internacionais avaliem o assunto.

Jornal Midiamax