Polícia

Jovem entregue pela ex e preso com 265 kg de maconha tem prisão mantida

Desembargadores da 2ª Câmara Criminal de Campo Grande mantiveram Luan Cintra Martins de 24 anos, em prisão de regime fechado, e ao pagamento de 508 dias-multa pelo crime de tráfico de drogas. Luan foi preso em dezembro de 2012 com 265 kg de maconha em 248 tabletes, que estavam enterrados nos fundos de sua casa, […]

Arquivo Publicado em 05/02/2014, às 20h09

None

Desembargadores da 2ª Câmara Criminal de Campo Grande mantiveram Luan Cintra Martins de 24 anos, em prisão de regime fechado, e ao pagamento de 508 dias-multa pelo crime de tráfico de drogas.

Luan foi preso em dezembro de 2012 com 265 kg de maconha em 248 tabletes, que estavam enterrados nos fundos de sua casa, localizado no bairro Nova Lima. A polícia chegou até a casa, após abordarem uma adolescente, namorada de Luan, que pilotava uma moto sem habilitação.

Ela teria pedido ajuda a Luan para resolver a situação, porém ele teria negado. Irritada ela então o denunciou dizendo que teria droga enterrada no quintal da casa do namorado.

De acordo com a Polícia Civil na época, a residência era utilizada como ponto de vendas de drogas. No local a maconha estava em tabletes enterrados dentro de uma caixa d’água. Luan então foi preso e encaminhado à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro.

O Des. Manoel Mendes Carli, relator do processo, entendeu que não é o caso de diminuição de pena por tráfico privilegiado, já que, segundo explica, a referida causa de diminuição deve ser aplicada aos pequenos traficantes, como exceção.

“Dos fatos ocorridos é visível que o apelante efetivamente figurou como membro integrante de organização criminosa voltada à disseminação de drogas. Em relação ao regime prisional, o mesmo merce ser mantido no fechado, pois devidamente fundamentado pelo juízo singular”.

Jornal Midiamax