Identificado assaltante que morreu depois de trocar tiros com a polícia em MS

O jovem de 25 anos, conhecido como “Ratão”, que assaltou um posto de combustíveis em Paranaíba, a 413 quilômetros de Campo Grande, e morreu após tiros com a Polícia Militar foi identificado como Fernando Alves Barbosa. O crime foi na última sexta-feira (1º), por volta das 20h30, na área central do município. Segundo testemunhas, o […]
| 04/08/2014
- 18:51
Identificado assaltante que morreu depois de trocar tiros com a polícia em MS

O jovem de 25 anos, conhecido como “Ratão”, que assaltou um posto de combustíveis em Paranaíba, a 413 quilômetros de Campo Grande, e morreu após tiros com a Polícia Militar foi identificado como Fernando Alves Barbosa.

O crime foi na última sexta-feira (1º), por volta das 20h30, na área central do município. Segundo testemunhas, o assalto foi praticado por dois homens em uma moto preta. A característica de um dos bandidos era de estatura baixa, magro, moreno e vestia um casaco escuro.

A PM foi acionada e várias viaturas fizeram buscas para localizar os assaltantes. Depois das diligências os policiais localizaram uma moto na Avenida Cristóvão Pereira dos Santos com as mesmas características da que foi usada para assaltar o posto.

A moto estava na casa de Ratão. Os policiais avistaram uma pessoa com camiseta listrada fugindo por um terreno. Houve troca de tiros e ele acabou morrendo.

Também foi encontrada na casa dele uma balança de precisão, uma barra com 114 gramas de maconha, 17 gramas de crack, 50 gramas de maconha esfarelada e 100 gramas preparada em 34 trouxinhas para venda.

De acordo com a polícia, Barbosa estava envolvido no crime desde os 16 anos e tinha várias passagens por furtos, ameaças, roubos e tráfico.

Veja também

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento e que o faccionado do PCC (Primeiro Comando da Capital) passa pela Avenida Gunter Huns, no veículo Ford Ka sendo perseguido pelos atiradores que o seguem em uma motocicleta. Pelas imagens é possível ver quando o carro onde está ‘Tonico ou Grandão’ como é conhecido o faccionado e uma motocicleta passa em alta velocidade atrás. ‘Tonico ou Grandão’, tenta fugir dos atiradores entrando no terminal de ônibus do Aero Rancho. Eles passam atirando e uma mulher que estava no terminal esperando pelo coletivo acabou sendo ferida no braço. Ela foi socorrida por populares e levada ao Hospital Regional. Na sequência, o faccionado tenta se refugiar na 6º Delegacia de Polícia Civil. Ele foi ferido por tiros de fuzil, na coxa e no abdômen. A perseguição ao faccionado se deu logo após, ele sair do presídio da Gameleira. Condenação por tráfico de drogas ‘Tonico ou Grandão’ já havia sido condenado por tráfico de drogas há 15 anos, seis meses e três dias de reclusão, no regime inicial fechado, e ao pagamento de 1.513 dias-multa, pela prática dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico, e porte de arma de fogo de uso restrito. Em agosto deste ano, o MPMS (Ministério Público Estadual) se manifestou contrário ao pedido feiro pela defesa de ‘Tonico ou Grandão’ para que fosse transferido para a cidade de Aquidauana. Na peça, o MPMS alega que “consta a informação de que o agravante é colaborador da organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), o que acarretaria total comprometimento dos objetivos da reprimenda fixada, caso o pedido fosse deferido”. Tiros perseguição Segundo informações repassadas pela própria vítima aos Bombeiros que prestaram socorro, ele havia acabado de sair do presídio da Gameleira, onde estava preso. No caminho para casa, duas pessoas de moto começaram a persegui-lo e, em seguida, a efetuar os tiros que acertaram o carro. Ainda conforme os militares, a vítima está com perfurações no abdômen e na coxa, mas se manteve consciente e orientada. A esposa dele também estava no veículo, mas não foi atingida. Os disparos teriam começado na Avenida Gunter Hans. Para fugir, o motorista ainda teria passado por dentro do terminal Aero Rancho e só parou na frente da delegacia. Os supostos atiradores fugiram. Polícia Civil, Guarda Municipal e Batalhão de Choque estão no local. Conforme o delegado Fabrício Dias, do 6º DP, o homem chegou na delegacia com a mão na barriga pedindo socorro. Os socorristas, no entanto, dizem não ser possível afirmar que se trata de um fuzil, mas sim de uma arma longa. Faccionado já havia sido condenado por tráfico de drogas a uma pena de 15 anos

Últimas notícias