Polícia

Foragido e assassino são pegos com droga após perseguição policial

Dois homens foram pegos na noite de terça-feira (15) com 104 quilos de maconha na rodovia que liga Sidrolândia a Campo Grande. Os rapazes, identificados como Bruno Emanuel, de 29 anos e Rogério José de Souza, de 22 anos, estavam em carros separados, levando a droga em direção à Capital. A Polícia Civil recebeu uma […]

Arquivo Publicado em 16/04/2014, às 14h25

None
462407014.jpg

Dois homens foram pegos na noite de terça-feira (15) com 104 quilos de maconha na rodovia que liga Sidrolândia a Campo Grande. Os rapazes, identificados como Bruno Emanuel, de 29 anos e Rogério José de Souza, de 22 anos, estavam em carros separados, levando a droga em direção à Capital.

A Polícia Civil recebeu uma denúncia anônima, revelando que uma pessoa passaria pela rodovia com maconha hidropônica. De prontidão, a polícia avistou a Montana e fez sinal para que o veículo parasse, mas o motorista ignorou a abordagem.

A polícia então seguiu o veículo, fez sinal para que o motorista parasse, mas só conseguiu fazer a abordagem após dar um tiro em um dos pneus do veículo, diminuindo sua velocidade. O motorista, Rogério, ainda desceu da Montana e correu em direção a um matagal, onde foi apanhado pelos policiais.

Além da droga, foi identificado um rádio de comunicação dentro da Montana. A polícia então identificou outro veículo, um Gol, dirigido por Bruno, que agia como batedor, dirigindo a frente de Rogério para comunicar sobre policiamento e fiscalização através do rádio.

Em investigação nas casas de Bruno e Rogério, foram encontrados e apreendidos 4 quilos de maconha, 700 gramas de pasta-base de cocaína, dois revólveres calibre 38, duas caixas de munição, duas balanças de precisão e uma moto.

Bruno ainda foi identificado como foragido de São Paulo por furto. Segundo o rapaz ele estava internado em uma clínica de recuperação para dependentes químicos e, há seis meses, furtou um carro para efetuar fuga. Ele disse ainda que recebeu de Rogério a proposta de ser batedor e que receberia R$5 mil para o serviço. Segundo o delegado Rodrigo Yassaka da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) Rogério comprou a droga por R$7 mil em Ponta Porã e distribuiria entre bocas de fumo e também venderia em sua própria casa. Rogério comparecerá ao Fórum na tarde desta quarta-feira (16) por ser também acusado de homicídio.

Jornal Midiamax