Polícia

Dono da ‘C-10 Encrenka’ tem liberdade negada e segue preso acusado de homicídio

O juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande negou o pedido de liberdade provisória a Leandro Martins Resquin, 24 anos, suspeito de assassinar Diego Soares da Silva, 20 anos, no dia 30 de setembro deste ano, em um bar do bairro Nova Lima, na região norte da […]

Arquivo Publicado em 05/11/2013, às 19h14

None
246423815.jpg

O juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande negou o pedido de liberdade provisória a Leandro Martins Resquin, 24 anos, suspeito de assassinar Diego Soares da Silva, 20 anos, no dia 30 de setembro deste ano, em um bar do bairro Nova Lima, na região norte da Capital. Resquin era conhecido no bairro por ter uma caminhonete C-10 com a palavra “Encrenka” estampada na lateral. Após o crime, o veículo foi apreendido pela polícia.


A decisão é da última quinta-feira (31) e foi publicada nesta terça-feira (5), no Diário da Justiça. Na publicação consta que o juiz indeferiu o pedido de liberdade provisória para garantir a ordem pública e assegurar a efetiva aplicação da lei penal.


Crime – Diego foi morto com dois disparos nas costas. O crime teria sido motivado por uma rixa entre ele e Leandro. Segundo testemunhas, Diego estava com os amigos tomando cerveja em uma loja de conveniência por volta da meia-noite, quando o Leandro chegou ao local na caminhonete “Encrenka” e os dois começaram a brigar.


Após o crime, Leandro fugiu do bar e abandonou a caminhonete que foi apreendida. Segundo informações de moradores do local, Leandro “promovia o terror” na região do Nova Lima. Os moradores contam que o acusado reunia amigos em sua casa, abria a carroceria da caminhonete com potentes auto-falantes e perturbava os vizinhos.

Jornal Midiamax