Polícia

Policiais civis votam pelo indicativo de greve na próxima semana

Policiais civis da capital e do interior de Mato Grosso do Sul se reuniram mais uma vez em assembleia geral nesta quarta-feira (25), no Sinpol/MS, a fim de definir novas estratégias de mobilizações para 2012. A categoria reivindica um reajuste salarial escalonado de 25% até 2014. Com este percentual, o policial civil de Mato Grosso […]

Arquivo Publicado em 25/04/2012, às 22h51

None

Policiais civis da capital e do interior de Mato Grosso do Sul se reuniram mais uma vez em assembleia geral nesta quarta-feira (25), no Sinpol/MS, a fim de definir novas estratégias de mobilizações para 2012. A categoria reivindica um reajuste salarial escalonado de 25% até 2014.


Com este percentual, o policial civil de Mato Grosso do Sul passará a receber o equivalente a R$ 4 mil, o que já é realidade em outros estados da federação.


Apesar dos rumores de que o governador André Puccinelli teria voltado à proposta inicial de 5% de reajuste para a polícia civil, o presidente do Snpol/MS, Alexandre Barbosa afirmou que o percentual de 9.15% é mantido. Segundo ele, este foi o parecer do governo do estado depois de outra rodada de negociação, realizada ontem (24).


“O percentual de 9.15% está mantido, mas a categoria não aceita. Por enquanto não tem nada oficial. Estamos esperando que haja um avanço nas negociações.”, disse Alexandre.


O presidente da União Geral dos Trabalhadores do MS (UGT/MS) esteve na assembleia e declarou total apoio às decisões do Sinpol. Além dele, diretores de outros sindicatos do país também marcaram presença na assembleia.


Decisão do Tribunal de Justiça


Sobre a decisão do TJ – Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul que concedeu uma liminar favorável ao governo do estado na semana passada, considerando ilegal qualquer paralisação da polícia civil e até mesmo as operações padrão, a categoria foi informada por um dos advogados do SINPOL, Dr. Fábio Leandro, que está entrando com recurso esta semana para reverter a decisão, baseando-se no fato de que as operações nada mais são do que as atribuições do policial civil.


Paralisação


A decisão se deu depois que 95% das delegacias de todo o estado fizeram uma paralisação no último dia 19, de 24 horas, interrompendo o atendimento nas unidades policiais. Na ocasião, somente casos emergenciais, como homicídio foi registrado nas delegacias.


A manifestação teve como objetivo sensibilizar o governo e a sociedade para a situação que se encontra a polícia civil de Mato Grosso do Sul, que segundo a diretoria do Sinpol, ocupa atualmente o 20º lugar no ranking nacional de pior salário do Brasil.


Uma nova assembleia será realizada no dia 05 de maio, quando os policiais irão deliberar pelo indicativo de greve geral.

Jornal Midiamax