Polícia

Menor é agredido por policiais militares de Douradina

A promotoria da Infância e da Juventude da comarca de Itaporã, ao qual pertence a cidade de Douradina, foi procurada na segunda -feira, 24 de janeiro, pela vereadora Lucilene Meneses, conhecida como ‘Lú”, para denunciar uma agressão sofrida por um menor de idade que teve seu nome preservado pela promotoria. Ele teria sido agredido por […]

Arquivo Publicado em 29/01/2011, às 12h43

None

A promotoria da Infância e da Juventude da comarca de Itaporã, ao qual pertence a cidade de Douradina, foi procurada na segunda -feira, 24 de janeiro, pela vereadora Lucilene Meneses, conhecida como ‘Lú”, para denunciar uma agressão sofrida por um menor de idade que teve seu nome preservado pela promotoria. Ele teria sido agredido por dois policiais militares lotados no pelotão da cidade de Douradina.

A história

O menor trabalha em uma lanchonete no centro da cidade de Douradina e saiu por volta das 2 horas quando ia de bicicleta para o sitio onde mora, na periferia da cidade em torno de 7 quilômetros da cidade. Quando já tinha rodada em torno de 3 km, ele teria sido alcançado pela viatura da policia militar da cidade e abordado pelos militares sob a acusação dele ser traficante. Os policiais queriam saber onde estava guardada a droga e quem a trazia para o menor comercializar na cidade.

Segundo o menor, por não saber de nada se recusou prestar qualquer informação aos policiais militares, sendo que neste momento os policiais o algemaram e passaram a agredi-lo a golpes de cacetetes, chutes pelo corpo e a todo momento queriam saber aonde estava a droga.

Ele também foi xingado e teria sido vítima de racismo.

Os policiais teriam gravado um depoimento do menor com ele dizendo onde estaria a droga, e foi levado pelos policiais até as proximidades de sua casa, na chácara onde seus pais dormiam.

Chegando ao local, o menor começou a gritar e chamar pelos pais, mas neste momento os cachorros começaram a latir e seus pais não ouviram os seus gritos.

Em seguida o menor foi levado à sede do destacamento na cidade de Douradina, recebendo novas agressões, sendo que os policiais jogaram água em seu rosto e enterraram a sua cabeça em uma caixa com areia várias vezes.

Logo ao amanhecer, o menor foi levado à delegacia de policia civil e apresentado a autoridade policial para ser indiciado.

Tão logo saiu da delegacia, o menor juntamente com a sua família, procuraram a vereadora Lú para fazer a denúncia e de imediato, procuraram a promotoria da infância e da juventude na cidade de Itaporã onde o promotor Dr. Roman Ávila solicitou o exame de corpo delito do menor, que foi feito em Dourados, comprovando as agressões sofridas.

Segundo relato da vereadora, este não foi o primeiro caso de agressão dos policiais na cidade, onde as pessoas temem os dois policiais que usam e abusam de seu poder de policia para pressionar a população.

Jornal Midiamax