Um forte aparato policial segue para a Aldeia Buriti, que fica na divisa entre Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti, em busca de armas em poder de lideranças terenas que estão à frente da ocupação de fazendas reivindicadas como terras indígenas. São mais de 50 policiais, incluindo a tropa de choque da Polícia Militar, cães farejadores e uma unidade de resgate do corpo de bombeiros.

Há informações extra-oficiais de que haveria uma autêntica milícia armada com um arsenal de grosso calibre. Já estaria preso um dos responsáveis pelo grupo, Arildo Alcântara, que é coordenador municipal de assuntos indígenas da prefeitura de Dois Irmãos do Buriti.

Desde maio um grupo de 1.500 índios da Aldeia Buriti estão ocupando a Fazenda 3 R, pertencente ao pecuarista Renato Bacha e a Fazenda Bom Jesus.