Polícia

Agente apontado como operador de esquema de corrupção em presídio é preso

O diretor-presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário, Deusdete Oliveira falou na manhã desta quinta-feira (10), que a Agepen tomará as medidas administrativas após receber toda a documentação sobre a prisão do agente penitenciário estadual Antônio Marcos de Almeida. Por meio de escutas telefônicas, ficou evidente para o Gaeco (Grupo de Atuação Espec...

Arquivo Publicado em 10/11/2011, às 15h58

None

O diretor-presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário, Deusdete Oliveira falou na manhã desta quinta-feira (10), que a Agepen tomará as medidas administrativas após receber toda a documentação sobre a prisão do agente penitenciário estadual Antônio Marcos de Almeida. Por meio de escutas telefônicas, ficou evidente para o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) que o servidor cometeu crimes considerados graves.

A reportagem conversou com Deusdete na manhã desta quinta-feira (10), durante a incineração de mais de 10 toneladas de drogas no frigorífico JBS Bertin em Campo Grande. A informação é que o agente penitenciário foi preso nesta manhã quando chegava para trabalhar e foi levado para o Centro de Triagem.

Escutas telefônicas realizadas pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) flagraram o agente em facilitação de entrada celulares, drogas e armas na Penitenciária Máxima de Campo Grande.

Em trechos das escutas, Antonio conversa com o detento Oswaldo José de Almeida Júnior, o Dinho, que cumpre pena na Máxima.

O presidiário confirmou o teor dos diálogos flagrados e apontou Antônio Marcos como o coordenador na facilitação de entrada de aparelhos celulares, drogas e armas na penitenciária. (Colaborou Eliane Souza).

Jornal Midiamax