Polícia

Preso em Campo Grande, Beira-Mar envia cartas para traficantes no RJ, diz polícia

De dentro do Presídio Federal de Campo Grande, onde cumpre pena, o traficante Fernandinho Beira-Mar continuaria influenciando as ações do crime organizado no Rio de Janeiro. Foram encontradas cartas pelo comando de operações na casa de Marcelinho Niterói, no Complexo do Alemão que teriam sido escritas pelo detento preso em Mato Grosso do Sul. Nas cartas, […]

Arquivo Publicado em 05/12/2010, às 11h27 - Atualizado em 19/07/2020, às 17h21

Reprodução
Reprodução - Reprodução

De dentro do Presídio Federal de Campo Grande, onde cumpre pena, o traficante Fernandinho Beira-Mar continuaria influenciando as ações do crime organizado no Rio de Janeiro. Foram encontradas cartas pelo comando de operações na casa de Marcelinho Niterói, no Complexo do Alemão que teriam sido escritas pelo detento preso em Mato Grosso do Sul.

Nas cartas, Beira-Mar sugere que seus comandados se aliem à milícia e organizem sequestro de autoridades para trocá-las pela libertação de milicianos da Zona Oeste. Estão neste grupo, por exemplo, Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, um dos aliados do ex-deputado Natalino Guimarães e do irmão dele, o ex-vereador Jerominho. Todos também estão presos na Penitenciária Federal de Campo Grande.

Mesmo sem data nem assinatura, a polícia tem certeza de que as cartas foram escritas pelo próprio traficante. Com base na apreensão, espera-se que Beira-Mar volte para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). O advogado do traficante, Luiz Gustavo Bataglin, ainda não se manifestou sobre as acusações.

Jornal Midiamax