Polícia

Polícia recolhe fraldas e roupas queimadas no sítio de Bruno

Fraldas e roupas femininas queimadas foram recolhidas do sítio do goleiro Bruno, em Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, nesta quarta-feira (14). O material, junto com raspas de concreto tiradas da propriedade, foi lacrado em sacos plásticos. A polícia não confirmou se os objetos pertencem a Eliza Samudio. Segundo a delegada Alessandra Wilke, todo […]

Arquivo Publicado em 15/07/2010, às 13h05

None

Fraldas e roupas femininas queimadas foram recolhidas do sítio do goleiro Bruno, em Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, nesta quarta-feira (14). O material, junto com raspas de concreto tiradas da propriedade, foi lacrado em sacos plásticos. A polícia não confirmou se os objetos pertencem a Eliza Samudio.


Segundo a delegada Alessandra Wilke, todo o material recolhido vai ser analisado em laboratório e comparado com o DNA da jovem.


Eliza, que desapareceu no início de junho, teve um relacionamento com o goleiro Bruno, que era do Flamengo. Ela tentava provar, na Justiça, que o atleta era pai de seu filho. Oito suspeitos de envolvimento no sumiço da jovem foram presos. Todos negam o crime.


Peritos e policiais fizeram buscas no sítio na noite de terça (13) e durante o dia, nesta quarta. Quando chegaram ao local, nesta quarta, eles perceberam que um dos cômodos havia sido invadido e um aparelho de videogame teria sido levado. Foi registrado um boletim de ocorrência sobre o furto.


Essa não é a primeira invasão na casa depois do início das investigações sobre o desaparecimento de Eliza. No começo de julho, segundo a polícia, o sítio já tinha sido invadido. Mesmo assim, a polícia informou que não vai pedir que o condomínio seja vigiado.


Coleta de material
Na noite de terça-feira, Sérgio Rosa Sales, primo de Bruno, acompanhou o trabalho da polícia e dos peritos no sítio em Esmeraldas e foi indicando lugares onde ele teria visto Eliza. Foram encontrados vestígios de sangue em um colchão. Segundo a polícia, o sangue é humano e será submetido a exames de DNA, que vão determinar se o sangue é de Eliza ou não. Além do sangue, fios de cabelo foram encontrados no local e também serão analisados.


Nesta quarta-feira, peritos voltaram a entrar em vários cômodos da casa e procuraram, mais uma vez, por vestígios de Eliza em portas e cortinas. Eles também coletaram material no jardim. Os restos de fraldas e roupas femininas queimadas foram recolhidos durante o dia.


Investigações
Nascida em Foz do Iguaçu (PR), Eliza Samudio se mudou para São Paulo e posteriormente para o Rio. Em 2009, teve um relacionamento com o goleiro Bruno. Ela engravidou e tentava provar, na Justiça, que teve um filho com o atleta. O bebê nasceu no início de 2010 e, agora, está com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.


A polícia mineira começou a investigar o sumiço de Eliza em 24 de junho, depois de receber denúncias de que uma mulher foi agredida e morta perto do sítio de Bruno, em Esmeraldas.


Na terça-feira, 6 de julho, um menor foi detido na casa do jogador, no Rio, e afirmou à polícia que Eliza está morta. Ele disse que viajou do Rio para Minas Gerais com Eliza e Luiz Henrique Ferreira Romão, amigo de Bruno conhecido como Macarrão. De acordo com o adolescente, os três foram para o sítio do goleiro. Depois, foram até outro local, onde um homem identificado como Neném estrangulou a jovem.


Oito pessoas estão presas na Região Metropolitana de Belo Horizonte, por suspeita de envolvimento no desaparecimento de Eliza, incluindo Bruno e o primo deles. Todos negam o crime.


No Rio, o goleiro e Macarrão são investigados por suspeita de participação no sequestro da jovem. Os dois também negam.

Jornal Midiamax