Polícia

Polícia Federal e MPF devem entrar na investigação de escândalo no Parque dos Poderes

"É necessário que, doa a quem doer, haja a punição nesse caso", disse o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante.

Arquivo Publicado em 20/10/2010, às 20h06

None

“É necessário que, doa a quem doer, haja a punição nesse caso”, disse o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante.

Por solicitação do presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal devem ingressar na investigação do escândalo envolvendo os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário do Mato Grosso do Sul com desvio de recursos públicos.


Em reunião com o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, foi apresentado o pleito para que o MPF e a PF entrem nas investigações e para que as denúncias de corrupção e mensalão no governo do Estado, Assembléia Legislativa e Tribunal de Justiça sejam efetivamente apuradas.


Gurgel informou que já examina material sobre o escândalo sul-mato-grossense e poderá entrar no caso, reforçando as investigações em curso na Procuradoria-Geral de Justiça estadual.


Ophir Cavalcante afirmou que as denúncias são gravíssimas: “Esse caso não pode ficar sem uma punição. É necessário que, doa a quem doer, haja a punição nesse caso que enodoa toda a história do Mato Grosso do Sul”.


“A sociedade de Mato Grosso do Sul dentro em breve terá uma resposta, que certamente será no sentido de cumprir a Lei e a Constituição, independentemente dos envolvidos”, completou Ophir.

Jornal Midiamax