Polícia

Dourados: fazendeiro que matou advogado presta depoimento e não é preso

O produtor rural Alcino Dias Campos, 75 anos, suspeito de matar a tiros o advogado Paul Oserow, 62 anos, depois de prestar depoimento nesta segunda-feira ao delegado João Alves de Queiroz, no 1º Distrito Policial de Dourados, acabou não permanecendo preso, pois não foi preso em flagrante. Foram quatro tiros de pistola, no interior do […]

Arquivo Publicado em 29/03/2010, às 23h08

None

O produtor rural Alcino Dias Campos, 75 anos, suspeito de matar a tiros o advogado Paul Oserow, 62 anos, depois de prestar depoimento nesta segunda-feira ao delegado João Alves de Queiroz, no 1º Distrito Policial de Dourados, acabou não permanecendo preso, pois não foi preso em flagrante.

Foram quatro tiros de pistola, no interior do Cartório do 1º Ofício, em Dourados. Ele teria justificado que agiu sob pressão e ameaça do advogado.

O advogado Paul e o fazendeiro teriam ido até o local para formalizar o processo de venda de um imóvel ao filho de Alcino e os dois se desentenderam quanto a alguns itens da documentação.

Ele chegou à delegacia com seus três advogados e entrou por uma das portas, longe da imprensa. Segundo informações apuradas pela reportagem, ele não deverá ser detido pelo fato de ter fugido do flagrante, ter idade superior a 72 anos, colaborar com as investigações – ele admite ter feito o assassinato – e ser réu primário. A polícia ainda não informou se já pediu a prisão dele.

O crime

O crime aconteceu por volta das 15h30 da última sexta-feira, no interior do cartório de registro de imóveis que está localizado na esquina da Rua João Rosa Góes com a Avenida Weimar Torres.

Jornal Midiamax