O Ministério de Relações Exteriores da Rússia afirmou, em nota publicada neste domingo (14), ver com “extrema preocupação” a escala da tensão no Oriente Médio. O contexto da publicação é o ataque iraniano com drones e mísseis a Israel nesse sábado (13).

“Apelamos a todas as partes envolvidas no conflito pela contenção. Esperamos que os Estados regionais resolvam os problemas existentes por meios políticos e diplomáticos”, disse.

O país de Vladimir Putin ressaltou ainda que, segundo o governo iraniano, os disparos contra Israel foram uma resposta a ataques contra instalações do Irã na região – entre eles o bombardeio à embaixada na Síria, em 1º de abril, “veementemente denunciado” pelo governo da Rússia.

A ação contra Israel estaria resguardada pelo direito à autodefesa estipulado previsto no Artigo 51 da Carta das Nações Unidas. “Infelizmente, devido à posição adotada pelos seus membros ocidentais, o Conselho de Segurança da ONU não foi capaz de dar uma resposta adequada ao ataque à missão consular iraniana”, completou. Nesse sentido, a fala faz referência ao ataque na Síria, atribuído pelo Irã aos israelenses.

O Ministério também encorajou cidadãos russos que residem em Israel e nos países vizinhos a acompanharem a imprensa e as recomendações do governo russo. O recado foi principalmente aos cidadãos que residem na Jordânia, Líbano e na Síria.

Com informações da Agência Estado