A polícia da isolou nesta sexta-feira, 19, o consulado do Irã em após um homem supostamente ter entrado com material explosivo na sede diplomática. De acordo com a imprensa local, o suspeito foi detido e uma unidade de elite foi acionada para o consulado, que solicitou por intervenção.

Uma testemunha relatou que um homem entrou no consulado por volta das 11h (6h de ) e que ele tirou o casaco e vestia um colete feito à mão no qual, aparentemente, havia explosivos. O jornal Le Parisien destacou que o indivíduo colocou diversas bandeiras no chão e garantiu que o seu objetivo era vingar a morte do irmão.

Segundo a emissora de BFMTV, ele saiu do consulado por vontade própria e foi detido pelas forças de segurança, não tendo sido encontrado qualquer artefato explosivo. O veículo em que ele chegou ao local também foi revistado.

O comandante da polícia de Paris, Laurent Nuñez, mobilizou uma unidade de elite e destacou que o consulado fez o pedido de intervenção. Agentes antiterroristas franceses solicitaram a entrada no consulado, mas os funcionários do edifício diplomático negaram, segundo a BFMTV.

O bairro onde fica o consulado iraniano, o XVI Arrondissement, no oeste da capital francesa, está completamente fechado ao tráfego. As linhas 6 e 9 do metrô, que passam pela estação Trocadero, a mais próxima do consulado iraniano, também foram paralisadas, segundo a empresa RATP.

O incidente ocorre em meio a uma tensão crescente no Oriente Médio, no mesmo dia em que o Irã foi alvo de um ataque retaliatório de Israel e poucos dias depois de Teerã ter atacado diretamente o território israelense pela primeira vez na história. O consulado iraniano em Paris não tem um alto nível de atividade, devido à frieza entre os dois países, o que faz com que sejam emitidos poucos vistos.