Mundo

França permitirá que homossexuais doem sangue sem restrições

Anúncio foi feito pelo governo decidiu que a orientação sexual não será mais critério de exclusão

Maria Eduarda Fernandes Publicado em 11/01/2022, às 16h11

Doação de sangue
Doação de sangue - Divulgação

A partir de março deste ano, homossexuais poderão doar sangue na França sem restrições. O anúncio foi feito nesta terça-feira (11), pelo governo do país, que decidiu que a orientação sexual não será mais um critério de exclusão na hora de doar sangue.

Conforme o anúncio, ainda nesta terça-feira será editada ordem para que a doação de sangue seja acessível a todas as pessoas. A partir do dia 16 de março, portanto, o esquema de doação de sangue na França não contará com "nenhuma referência à orientação sexual" nos questionários preenchidos antes do procedimento.

Teoricamente, a doação de sangue de pessoas homoafetivas está permitida desde julho de 2016. Porém, o ato estava proibido devido a riscos de transmissão do vírus HIV, cuja condição para doação era um período considerável de abstinência sexual: o período, antes, era de um ano. Depois, passou a ser de quatro meses.

"A extrema vigilância das autoridades sanitárias torna possível uma evolução das condições de acesso à doação de sangue", explicou o diretor-geral de Saúde, que não espera que o risco, residual, de transmissão do HIV por transfusão aumente após a nova medida. "O nível de risco vem caindo regularmente há décadas", frisou ele.

Antes da França, outros países como Espanha, Itália, Israel e Brasil (após decisão do STF em 2020) modificaram nesse sentido as condições de acesso à doação de sangue.

(Com supervisão de Guilherme Cavalcante)

Jornal Midiamax