Centenas de projéteis explodem em região da Ucrânia

Líderes ocidentais alertam que a Rússia estaria prestes a atacar o país vizinho
| 20/02/2022
- 13:10
Tropas da Rússia na fronteira com a Ucrânia
Tropas da Rússia na fronteira com a Ucrânia - (Foto: Igor Vsevolodovich Girkin)

Centenas de projéteis de artilharia explodiram ao longo da linha que separa soldados ucranianos e separatistas apoiados pela Rússia, levando milhares de pessoas a deixarem o leste da e aumentando o temor de que tensões na região podem desencadear uma invasão russa.

Líderes ocidentais alertaram que a Rússia estaria prestes a atacar o país vizinho, que está cercado em três lados por cerca de 150 mil soldados russos, aviões de guerra e equipamentos. A Rússia realizou exercícios nucleares no sábado na vizinha Belarus e tem exercícios navais em andamento na costa do Mar Negro.

Ontem, também, líderes separatistas no leste da Ucrânia ordenaram uma mobilização militar completa e enviaram mais civis à Rússia, que emitiu cerca de 700 mil passaportes para residentes dos territórios controlados pelos rebeldes.

Pretexto para invadir

Os e muitos países europeus alegam há meses que a Rússia está tentando criar pretextos para invadir e ameaçaram impor sanções maciças e imediatas caso isso venha a acontecer. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu ao presidente russo, Vladimir Putin, que escolha um local onde os dois líderes possam se encontrar para tentar resolver a crise. A Rússia negou planos de invasão.

"A Ucrânia continuará a seguir apenas o caminho diplomático em prol de um acordo pacífico", disse Zelensky no sábado, durante a Conferência de Segurança em Munique, Alemanha. Não houve resposta imediata do Kremlin.

Também no sábado, a Rússia afirmou que ao menos dois projéteis disparados de uma área do leste da Ucrânia controlada pelo governo caíram do outro lado da fronteira. O ministro de Relações Exteriores da Ucrânia reagiu dizendo que a declaração é "falsa".

Diplomacia

Representantes de Moscou e do Ocidente continuam se comunicando. Os chefes de defesa americanos e russos falaram na sexta-feira. O presidente da França, Emmanuel Macron, tem agendado um telefonema com Putin neste domingo. O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, concordaram em se reunir na próxima semana.

Autoridades da região de Rostov, na Rússia, que faz fronteira com o leste da Ucrânia, declararam estado de emergência por causa do fluxo de rebeldes ucranianos. Reportagens veiculadas no sábado reportaram longas filas de ônibus e centenas de pessoas esperando no frio por horas para serem alojadas, sem acesso a comida ou banheiros. Putin ordenou que o governo russo oferecesse 10.000 rublos (cerca de US$ 130) a cada evacuado, quantia equivalente a cerca de metade de um salário médio mensal no leste da Ucrânia. (Com informações do Estadão Conteúdo).

Veja também

Bicampeã olímpica pelos EUA foi detida em fevereiro em Moscou

Últimas notícias