Mundo

Tóquio muda tradição e só distribuirá preservativos aos atletas quando eles saírem

Além disso, o consumo de bebidas alcoólicas em grupo será proibido

Gabriel Neves Publicado em 21/06/2021, às 07h40

Imagem ilustrativa.
Imagem ilustrativa. - (Foto: Reprodução)

Desta vez, os atletas que participarem das Olimpíadas não receberão camisinhas durante sua estadia na vila olímpica. A medida foi anunciada pela organização da Olimpíada de Tóquio e visa conter a interação entre os desportistas por conta da pandemia de coronavírus.

Os atletas ainda receberão os preservativos, que é tradição desde os Jogos de Seul, em 1998, para conscientização sobre sexo seguro, mas apenas quando deixarem o Japão. Deverão ser distribuídas cerca de 150 mil camisinhas.

As normas implementadas pela organização dos jogos visam “evitar qualquer contato físico desnecessário” entre os atletas. Também por conta disso, será proibido o consumo de álcool em grupo.

Atletas que descumprir as regras pode ser multado, desqualificado das competições ou até mesmo deportado. Outras restrições devido à pandemia também acontecerão, como o funcionamento com ocupação reduzida do refeitório. Além disso, a organização também recomenda que os atletas deixem as janelas abertas e mantenham seus quartos ventilados.

Também foi instalada uma clínica, separada das demais instalações médicas do complexo, para casos de febre. De acordo com Takashi Kitajima, diretor da vila olímpica, assim, casos suspeitos de coronavírus poderão ficar isolados.

Durante os Jogos, os atletas terão de fazer testes diários capazes de detectar o vírus e serão obrigados a usar máscaras quando não estiverem competindo.

A realização da Olimpíada de Tóquio, que já foi adiada em um ano, durante um momento de pandemia, divide os japoneses. A vila olímpica de Tóquio tem capacidade para abrigar até 18 mil hóspedes.

*Com informações da FolhaPress.

Jornal Midiamax