Mundo

Medicamentos orais são testados como forma de combate à Covid-19

Farmacêuticas brigam na disputa de qual vai lançar o primeiro remédio contra a doença que atinge o mundo há mais de um ano e meio

Renata Barros Publicado em 30/09/2021, às 11h36

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

A farmacêutica norte-americana MSD (Merck Sharp & Dohme) anunciou, nesta quarta-feira (29), os resultados preliminares sobre o medicamento antiviral de uso oral contra a Covid-19. Chamada Molnipiravir, a medicação experimental está sendo testada tanto para o tratamento da doença, quanto para a prevenção.

Segundo os estudos, o antiviral deve ser eficaz contra todas as variantes do vírus. Isso porque o medicamento tem como alvo a polimerase viral, enzima necessária para que o vírus se reproduza. O antiviral foi projetado para introduzir erros no código genético do vírus, impossibilitando sua reprodução.

A Merck testou o antiviral em amostras de swabs nasais de participantes dos primeiros testes da medicação. A Delta ainda não estava em grande circulação, mas o Molnupiravir foi testado em amostras de laboratório da variante e se mostrou eficaz.

Há alguns meses, a empresa divulgou dados de um pequeno estudo, que relevou que nenhum dos pacientes que tomaram as doses da droga testou positivo para vírus infeccioso, após cinco dias de tratamento com a medicação experimental.

No momento, a farmacêutica realiza dois estudos de fase três do antiviral, um para o tratamento de Covid-19 e outro para prevenir a infecção pelo coronavírus. A previsão do término dos estudos é novembro, de acordo com o chefe do departamento de infecciosos, doenças e vacinas da Merck, Jay Grobler.

A pesquisa é realizada com pacientes infectados, sem necessidade de hospitalização, mas que apresentaram sintomas por até cinco dias e tinham risco de evoluir para doença grave.

Outras medicações

Além da MSD, outras grandes potências farmacêuticas estão investindo no estudo de drogas que podem combater a Covid-19. Enanta Pharmaceuticals, Pardes Biosciences, Shionogi & Co Ltd do Japão e Novartis AG anunciaram que estão desenvolvendo antivirais, que buscam especificamente combater o coronavírus. O objetivo dessas medicações é combater o vírus sem a necessidade de vários comprimidos por dia.

Até o momento, nenhuma medicação foi aprovada para tratar a Covid-19 e especialistas seguem apontando a vacinação como única forma de evitar que a doença evolua para a forma grave. Por isso, vacine-se!

Campo Grande aplica 3ª dose em idosos e trabalhadores da saúde nesta quinta, além de 2ª dose da AstraZeneca, Coronavac e Pfizer.

Jornal Midiamax