Mundo

Jovem de 22 anos é primeira pessoa a sobreviver transplante de mãos e rosto

Como primeira pessoa a sobreviver a um transplante de rosto e mão, o jovem americano de 22 anos, Joe DiMeo, conseguiu realizar a cirurgia em agosto de 2020 e entrou para história do mundo. Joe sofreu um acidente em julho de 2018, quando voltava para casa depois de um plantão noturno e acabou dormindo no […]

Carolina Rocha Publicado em 03/02/2021, às 17h13

Antes e depois do jovem Joe.
Antes e depois do jovem Joe. - Antes e depois do jovem Joe.

Como primeira pessoa a sobreviver a um transplante de rosto e mão, o jovem americano de 22 anos, Joe DiMeo, conseguiu realizar a cirurgia em agosto de 2020 e entrou para história do mundo.

Joe sofreu um acidente em julho de 2018, quando voltava para casa depois de um plantão noturno e acabou dormindo no volante. O carro do jovem capotou e pegou fogo, ele foi resgatado pelos próprios motoristas que passavam na hora do acidente, minutos antes do veículo explodir.

Mesmo saindo antes da explosão, Joe teve 80% do seu corpo tomado por queimaduras de terceiro grau. Após o acidente, foram três meses em coma induzido. Suas pálpebras e lábios derreteram, o rosto ficou completamente desconfigurado e todos os seus dedos das mãos foram amputados.

Jovem de 22 anos é primeira pessoa a sobreviver transplante de mãos e rosto
Joe no hospital

Depois de meses no hospital, Joe que morava sozinho, precisou retornar para casa dos pais, pois estava completamente dependente de alguém. Precisava de ajuda no banho, comer e qualquer ação que precisasse realizar.

Tentando retomar sua vida, cerca de nove meses depois do acidente, os médicos responsáveis pelo seu caso encaminharam para o especialista em cirurgia plástica reconstrutiva e diretor do programa de transplante de face, Eduardo Rodriguez.

“Ele é jovem, saudável, e com uma importante qualidade: é o paciente mais motivado que já conheci. Essa característica é essencial para sobreviver à cirurgia e a todo o processo pós-operatório, que envolve muita fisioterapia”, contou Rodriguez, em entrevista coletiva nesta quarta (3).

Rodriguez contou que pretendia fazer a cirurgia dos dois transplantes e que este procedimento nunca havia sido feito no mundo. No mundo, já foram realizados cerca de 100 transplantes de mãos e 50 de rosto, mas as duas juntas já foram feitas, mas não deram certo e o paciente faleceu.

Jovem de 22 anos é primeira pessoa a sobreviver transplante de mãos e rosto
Joe com a família antes do acidente

A chances de se encontrar doador compatível era de apenas 6%. O tom de pele precisava ser correto e tamanho dos ossos também. Com isso, o jovem foi colocado na fila e um time de 80 médicos foi montado para começar a estudar e praticar como seria a cirurgia.

Além de toda dificuldade de uma cirurgia inovadora, a pandemia entrou para atrasar ainda mais o processo, pois toda equipe foi realocada para linha de frente.

No entanto, depois de muita espera, em agosto de 2020, contra todos os números, foi encontrado um doador perfeito para Joe.

“No dia da cirurgia, como eu sempre faço, fui perguntar se ele queria desistir. A última palavra é dele, se falasse que não, iríamos desfazer tudo. Ele poderia morrer, ou ficar pior do que estava antes. A resposta veio sem hesitação, e ele queria entrar na sala de cirurgia o quanto antes”, lembra Rodriguez.

A cirurgia levou 23 horas e foi conectado dois ossos, 21 tendões, cinco veias, duas artérias e três nervos para garantir que a face e duas mãos funcionassem perfeitamente.

Jovem de 22 anos é primeira pessoa a sobreviver transplante de mãos e rosto
Joe em entrevista atual

Após o procedimento, o jovem ainda teve que passar 45 dias internados, depois foi transferido para um instituto de reabilitação e passou mais 57 dias. No instituto começou a reaprender a mexer suas mãos. Quando foi para casa, seu primeiro pedido foi comer um hambúrguer sozinho.

No momento, mesmo depois de 5 meses da cirurgia, o Joe precisa de 5 horas diárias de fisioterapia. Mas ele está além das expectativas, e as habilidades motoras estão voltando mais rápido do que se esperava. Ele já consegue comer e tomar banho sem ajuda e pretende voltar ao trabalho o quanto antes.

Jornal Midiamax