Mundo

EUA vão suspender restrições de viagens a países africanos no fim do ano

Restrições de viagens a países do sul da África foram impostas em 29 de novembro

Agência Estado Publicado em 24/12/2021, às 11h53

None
Divulgação

Os Estados Unidos vão suspender, em 31 de dezembro, as restrições de viagens impostas a países do sul da África, região onde a variante ômicron do coronavírus foi identificada pela primeira vez, segundo informou o secretário-assistente de imprensa da Casa Branca, Kevin Muñoz.

"Em 31 de dezembro, o presidente Joe Biden vai suspender as restrições de viagens temporárias a países do sul da África. A decisão foi recomendada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês). As restrições nos deram tempo para entender a ômicron e agora sabemos que as vacinas existentes funcionam contra a cepa, especialmente após a dose de reforço", escreveu Munoz em postagem na sua conta do Twitter nesta sexta-feira.

As restrições, impostas em 29 de novembro, proibiram todos os viajantes que passaram recentemente pela África do Sul, Botsuana, Zimbábue, Namíbia, Lesoto, Suazilândia, Moçambique e Malawi de entrarem nos EUA.

A disseminação da variante ômicrom têm forçado empresas aéreas americanas a cancelarem voos durante o período movimentado das festas de fim de ano. Entre elas, a United Airlines está cancelando dezenas de voos no fim de semana do feriado, já que um aumento de casos de covid-19 afetou as tripulações da companhia. Já a Delta Air Lines também citou a variante ômicron como um fator por trás de uma série de cancelamentos.

No Reino Unido, o chefe do Royal College of Nursing — sindicato britânico do setor de enfermagem — Pat Cullen disse à British Broadcasting Corporation que o Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês) está sofrendo com ausências nas equipes médicas à medida que a nova cepa se espalha no país.

O chefe da Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido indicou que o governo britânico pode decidir se deve introduzir mais restrições na Inglaterra, avaliando o impacto social mais amplo da infecção, em vez da gravidade da doença em si.

O primeiro-ministro Boris Johnson disse que seu governo não vai introduzir mais restrições antes do Natal, mas é possível que mais medidas sejam adotadas na próxima semana. Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte já anunciaram restrições sociais mais amplas após o Natal.

Ainda na Europa, a Áustria juntou-se ao grupo de países que consideram aplicar uma quarta dose das vacinas contra a doença, que será oferecida a profissionais de saúde, se aprovada Israel já adotou a medida, enquanto a Alemanha considera tomar ação similar.

Na Ásia, a Tailândia detectou seu primeiro surto doméstico da variante ômicron, na província de Kalasin, ao norte da capital Bangkok. Bangkok também cancelou as celebrações de Ano Novo conduzidas pela cidade por conta do aumento de infecções locais.

Jornal Midiamax