Mundo

Confira 9 países europeus onde é possível estudar de graça ou pagando pouco

Alguns oferecem bolsas já outros possuem pequenas taxas semestrais para estrangeiros

Gabriel Neves Publicado em 16/05/2021, às 13h38 - Atualizado às 13h38

Imagem ilustrativa.
Imagem ilustrativa. - (Foto: Reprodução)

Estudar fora é um sonho para muitos Brasileiros, além dos países norte-americanos, talvez os europeus estejam entre os mais visados. Apesar disso, os altos custos e as diversas línguas podem fazer com que as pessoas descartem essa ideia.

Com isso, confira nove países europeus onde é possível estudar de graça ou pagando pequenas taxas, além disse em universidades onde as aulas são ministradas em inglês, mesmo a língua oficial do país sendo outra.

Alemanha

As universidades da Alemanha deixaram de cobrar "tuition fees" (anuidades) de seus alunos - sejam estrangeiros ou não – desde 2014. A regra vale tanto para cursos de graduação quanto em programas de mestrado integrados.

Algumas universidades federais, cobram uma contribuição semestral e/ou taxas administrativas (na casa de 50 euros). Você pode ficar de olho nesta página de informações para estudantes estrangeiros na Alemanha para ver quais instituições cobram quais taxas.

Áustria

As universidades públicas ou federais da Áustria cobram apenas 726 euros por semestre de "tuition fees" (anuidade) para alunos estrangeiros, segundo o Study in Austria.

Há ainda uma taxa de 20,20 euros referente à participação na união de estudantes do país e a um seguro contra acidentes.

Noruega

Segundo o site Study In Norway, as universidades e faculdades estatais da Noruega via de regra não cobram "tuition fees" dos alunos, incluindo estudantes estrangeiros. Isso se aplica a todos os níveis, incluindo graduação, mestrado e doutorado.

No entanto, os estudantes devem contribuir com uma taxa de cerca de 600 coroas norueguesas (cerca de R$ 380) por semestre.

Finlândia

O país é considerado um dos que possuem a melhor qualidade de ensino e de vida do mundo. Segundo o site Study in Finland, alunos de cursos de PhD não pagam "tuition fees". O mais comum é que eles recebam salário ou bolsas de estudo enquanto atuam como pesquisadores

Islândia

A Islândia possui sete universidades, quatro são públicas. Nelas, segundo o ranking QS, não são cobradas as "tuition fees" — apenas uma taxa administrativa de registro, que custa cerca de US$ 600 por ano. Convertendo e tirando a média, dá cerca de R$ 200 por mês para estudar numa universidade islandesa.

*Com informaçõesdo portal UOL.

Jornal Midiamax