Mundo

China pede demissão de ministro brasileiro para liberação de insumos de vacinas contra a Covid-19

O embaixador da China em Brasília, Yang Wanming, disse que o país pede a demissão do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. A demissão seria necessária para que eles liberem os insumos para a produção das vacinas contra a Covid-19, Coronavac e de Oxford, no Brasil. De acordo com o jornal A Gazeta do Povo, […]

Gabriel Neves Publicado em 22/01/2021, às 08h11 - Atualizado às 08h31

Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil) - Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

O embaixador da China em Brasília, Yang Wanming, disse que o país pede a demissão do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. A demissão seria necessária para que eles liberem os insumos para a produção das vacinas contra a Covid-19, Coronavac e de Oxford, no Brasil.

De acordo com o jornal A Gazeta do Povo, a China revelou que as relações entre os dois países ficaram estremecidas após os ataques do chanceler contra o país asiático e pede, ao menos, um pedido formal de desculpas do governo brasileiro.

Wanming disse que apesar do país ter demorado para pedir os insumos, a China pode antecipar a entrega da matéria-prima para o imunizante.

Na última quarta-feira (20), representantes do país asiático participaram de reuniões com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e da Saúde, Eduardo Pazuello.

Jornal Midiamax