Mundo

Tensão: Em alerta aos EUA, China dispara míssil ‘matador de porta-avões’ sobre o mar

Os chineses dispararam dois mísseis, incluindo um conhecido como “matador de porta-aviões”, sobre o disputado Mar Meridional da China, de acordo com relatos da imprensa local. O movimento é um claro alerta aos Estados Unidos, ao passo em que as tensões entre os dois países aumentam  na região. De acordo com o jornal The South […]

Matheus Maderal Publicado em 27/08/2020, às 13h13

Míssil chinês DF-21. (Foto: reprodução).
Míssil chinês DF-21. (Foto: reprodução). - Míssil chinês DF-21. (Foto: reprodução).

Os chineses dispararam dois mísseis, incluindo um conhecido como “matador de porta-aviões”, sobre o disputado Mar Meridional da China, de acordo com relatos da imprensa local. O movimento é um claro alerta aos Estados Unidos, ao passo em que as tensões entre os dois países aumentam  na região.

De acordo com o jornal The South China Morning Post, Pequim disparou um míssil balístico de alcance intermediário, o DF-26B, da província de Chingai, e outro de alcance médio, o DF-21D, da província de Zhejiang, nessa quarta-feira (26). Os disparos são em resposta a atividades de aeronaves militares americanas em uma região livre de voo.

Nos EUA, o chefe da Defesa americana, Mark Esper, disse que a China tem descumprido repetidamente as promessas de fazer valer as leis internacionais e observou que os chineses parecem estar “flexionando seus músculos” no Sudeste Asiático.

Os dois mísseis foram disparados em direção à área entre a província de Hainan e as disputadas Ilhas Paracel, ainda de acordo com o jornal chinês. Segundo a reportagem, um avião espião americano supostamente sobrevoou – sem permissão – uma área “livre de voo” da China, na terça-feira (25),  durante um exercício naval dos chineses com disparo de fogos no Mar de Bohai.

O ministro de Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, disse que o sobrevoo do avião faz parte de “ações provocativas” e pediu para que os americanos parassem. O Exército da China “nem vai dançar no ritmo dos EUA”, nem permitirá que os EUA “causem problemas”, disse o ministro de Defesa chinês, Wu Qian, nesta quinta-feira.

O míssil DF-26B, que já havia sido lançado no começo do mês, é capaz de atingir alvos móveis no mar, tornando-o um “matador de porta-aviões”, de acordo com o jornal do governo, Global Times. (Com agências internacionais)

Jornal Midiamax