Mundo

Surto de ebola no Congo segue avançando e 8 casos já foram registrados

O novo surto de ebola que foi registrado na cidade de Mbandaka, na República Democrática do Congo segue avançando e deixando autoridades sanitárias preocupadas. Nesta quarta-feira (3), a OMS (Organização Mundial da Saúde) apresentou novos dados que mostraram que até o momento, 8 casos da doença foram confirmados com 4 mortes e os demais seguem […]

Vinícius Costa Publicado em 03/06/2020, às 14h00

É a segunda vez que a cidade de Mbandaka enfrenta um surto de ebola. (Foto: Seros Muyisa/AFP via Getty Images)
É a segunda vez que a cidade de Mbandaka enfrenta um surto de ebola. (Foto: Seros Muyisa/AFP via Getty Images) - É a segunda vez que a cidade de Mbandaka enfrenta um surto de ebola. (Foto: Seros Muyisa/AFP via Getty Images)

O novo surto de ebola que foi registrado na cidade de Mbandaka, na República Democrática do Congo segue avançando e deixando autoridades sanitárias preocupadas. Nesta quarta-feira (3), a OMS (Organização Mundial da Saúde) apresentou novos dados que mostraram que até o momento, 8 casos da doença foram confirmados com 4 mortes e os demais seguem com atendimento médico.

Não é a primeira vez que a cidade do país enfrenta um surto da doença. Em 2018, Mbandaka encarou a ebola, mas com ajuda sanitária e monitoramento da OMS, o contágio da doença foi interrompido em 3 meses.

Entretanto, há uma preocupação da organização em relação ao lado leste do Congo. Segundo divulgado nesta quarta em conferência, a OMS tentar extinguir a doença que está há 2 anos nas províncias de Kivu do Norte e Ituri.

De acordo com a OMS, a última pessoa confirmada com o ebola participou do enterro de um dos primeiros casos, mas foi detectada na cidade de Bikoro, a 150 quilômetros de Mbandaka. Isso significa que agora duas zonas de saúde são afetadas.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus afirmou nesta quarta, que existe cerca de 50 integrantes da OMS, além de parceiros que chegaram a Mbandaka. Na cidade, foram disponibilizadas 3.600 doses de vacina contra a ebola e 2 mil cartuchos para testes em laboratórios.

“Este é um lembrete importante de que, mesmo que a OMS se concentre em responder à pandemia do COVID-19, continuamos monitorando e respondendo a muitas outras emergências de saúde”, disse Tedros.

Jornal Midiamax