Mundo

Rapaz engorda 102 quilos durante a quarentena e é internado por problemas de saúde

Durante a quarentena, muita gente não tem conseguido segurar a ansiedade e acaba descontando na comida. No distrito de Wuchang, em Wuhan, na China, local onde começou o surto de coronavírus, um homem de 26 anos engordou 102 quilos durante os cinco meses que ficou em isolamento social. Zhou é obeso desde a infância, hoje […]

Cleber Rabelo Publicado em 13/06/2020, às 11h00

Hospital Zhongnan, Weibo, Reprodução
Hospital Zhongnan, Weibo, Reprodução - Hospital Zhongnan, Weibo, Reprodução

Durante a quarentena, muita gente não tem conseguido segurar a ansiedade e acaba descontando na comida. No distrito de Wuchang, em Wuhan, na China, local onde começou o surto de coronavírus, um homem de 26 anos engordou 102 quilos durante os cinco meses que ficou em isolamento social.

Zhou é obeso desde a infância, hoje ele tem 1,75 metro e 279 quilos. No final do ano passado o rapaz procurou um médico em busca de orientação para perder peso, mas não conseguiu atingir o objetivo. Ele ainda tinha 177 quilos e, devido a uma série de problemas de saúde, o jovem passou 11 dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

O excesso de peso de Zhou o prejudica de diversas formas, afirmou a equipe médica do Hospital Zhongnan, da Universidade de Wuhan, impedindo-o até mesmo de deitar. Ele sofre de depressão, insuficiência cardíaca e disfunção respiratória.

Conforme a OMS (Organização Mundial de Saúde), a obesidade corresponde ao quinto maior risco de morte no mundo. São registradas em média 2,8 milhões de mortes a cada ano.

Em decorrência dos problemas de saúde, Zhou, que era funcionário de um cybercafé, procurou a ajuda do vice-diretor do Centro de Obesidade e Cirugia Metabólica do Hospital Zhongnan, no dia 31 de maio. Ele contou que não saia de casa desde janeiro, quando iniciou o confinamento devido à covid-19.

O médico afirmou que a obesidade de Zhou é causada por fatores genéticos somados ao estilo de vida e que, atualmente, não existe um tratamento eficaz.

Depois de quase duas semanas na UTI, o estado de saúde do rapaz foi sendo gradualmente controlado e, na quinta-feira (11), já estava fora de perigo. Ele foi transferido à enfermaria.

Jornal Midiamax